Embates em votações vão tornar vida de Tabata Amaral 'um inferno', diz Ciro

DANIELA ARCANJO
SÃO PAULO, SP, 15.07.2019: CIRO-GOMES - O ex-senador Ciro Gomes participou do evento Observatório Trabalhista, que apresentou uma análise sobre os 180 primeiros dias do governo de Jair Bolsonaro, na sede do sindicato dos trabalhadores em processamento de dados, em São Paulo, nesta segunda-feira(15). (Foto: Marcelo Chello/CJPress/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) voltou a defender nesta segunda (15) que a deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) saia da legenda e disse que a vida dela tende a ser um "inferno" diante da votação de novos temas no Congresso, como a reforma tributária. 

"O partido dela não é esse", afirmou. "Vai ser um inferno a vida dela. Porque cada um desses embates tem a ver com o tipo de visão de mundo que você tem", disse Ciro durante evento do PDT em São Paulo para debater a gestão Jair Bolsonaro sob a ótica trabalhista.

O embate entre Tabata e Ciro começou após a votação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados. A deputada e outros sete deputados do PDT votaram a favor da medida, contrariando a orientação partidária. 

O partido havia fechado questão contra a reforma da Previdência e agora vai avaliar eventuais punições aos dissidentes.

Segundo Ciro, "até a antevéspera, para não dizer até a véspera, ela [Tabata] nos disse que votaria contra essa proposta".

Em  artigo publicado na Folha de S.Paulo, Tabata disse que partidos tentam se modernizar, mas "ainda ostentam estruturas antigas de comando, e na maioria faz falta mais democracia interna".

Ciro chamou novamente de "partido clandestino" um movimento de renovação política que Tabata fundou, batizado de Acredito.

No sábado (13), ele havia acusado a deputada de fazer "dupla militância", por responder ao partido e ao movimento.

O que está em jogo após as eleições de 2018, segundo Ciro, é a condição do conservadorismo contra a Constituição de 1988. "A história vai registrar quem estava de um lado e quem estava do outro."