Embraer negocia fusão de US$ 2 bi de sua unidade de 'carros voadores'

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO. A Embraer negocia uma fusão de US$ 2 bilhões de sua subsidiária Eve, que desenvolve projetos de mobilidade aérea urbana (conhecida como carros voadores), com a Zanite Acquisition, uma companhia de capital aberto dos Estados Unidos. A notícia foi antecipada pela Bloomberg e confirmada pela brasileira em Fato Relevante encaminhado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

“As negociações com a Zanite estão em curso. A Companhia não pode prever se a Eve chegará a um acordo definitivo ou quais serão os seus termos”, informou a Embraer na nota.

A confirmação desta notícia fez com que as ações da Embraer na B3 registrassem nesta quinta-feira valorização de 14,28%, a maior do dia na Bolsa brasileira.

A Eve foi anunciada em outubro do ano passado como um spin-off da EmbraerX, subsidiária de inovação da fabricante brasileira de aviões. Sediada no estado americano do Delaware, a Eve pretende elaborar protótipo do chamado de eVTOL (veículo elétrico de decolagem e pouso vertical), uma espécie de carro voador, que seria mais barato, eficiente e versátil que os helicópteros. A expectativa de analistas é que o primeiro veículo esteja certificado para voo em 2030. A Eve já desperta o interesse de empresas como a Uber.

Em abril do ano passado, na esteira da piora para o setor aéreo com a pandemia, a Boeing suspendeu o processo de compra da divisão de avião comercial da Embraer. O cancelamento da operação ocorreu 21 meses após seu anúncio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos