Embraer vende cargueiros KC-390 à Holanda, país-membro da Otan

O governo holandês anunciou nesta quinta-feira que escolheu o avião cargueiro KC-390, da fabricante brasileira de aviões Embraer, para substituir sua frota atual de C-130H Hercules, modelo fabricado pela Lockheed Martin. O comunicado foi feito pelo secretário de Defesa do país, Christophe van der Maat, em mensagem enviada ao parlamento holandês.

Aeronáutica reduzirá a somente 15 compra de aviões KC-390 da Embraer

Embraer deixa ao menos 30 aviões sem manutenção na Rússia ao aderir a sanções contra o país

A Embraer vai vender cinco unidades do KC-390 ao país, e a primeira entrega será feita em 2016, segundo o anúncio do governo holandês. O valor do negócio não foi revelado, mas um acordo para uma aquisição similar de Portugal feito em 2019 foi fechado à época por € 827 milhões.

A Holanda é um dos 28 países-membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), tendo sido uma das 12 nações fundadoras da aliança militar liderada pelos Estados Unidos.

Atualmente, a Holanda tem quatro aviões C-130, que estão próximos do fim de sua vida útil. Inicialmente, o governo pretendia que os equipamentos voassem pelo menos até 2031, mas defeitos impossibilitaram os planos e, em 2020, o país decidiu substituir as aeronaves.

Na mensagem enviada à Câmara dos Representantes do país, Van der Maat afirmou que a necessidade de fazer mais horas de voo fez com que o país ampliasse a compra de quatro aviões para cinco. Ele citou, por exemplo, as evacuações no Afeganistão em 2021 e a "situação de segurança drasticamente alterada no flanco leste da Europa", em alusão à Guerra da Ucrânia.

“Com uma expansão de 2.400 para 4.000 horas de voo, as unidades (do KC-390) são melhores. A Holanda também contribui para preencher um déficit europeu. A capacidade adicional de transporte também beneficia a velocidade de resposta a calamidades.”

Na competição pela preferência do governo holandês, o C-390M da Embraer derrotou o C-130J da gigante americana Lockheed Martin. "Por exemplo, a disponibilidade do C-390M é maior, o equipamento pontua melhor em vários requisitos operacionais e técnicos e requer menos manutenção. Além disso, já pode atender ao requisito mínimo de 2.400 horas de voo com quatro aeronaves. O C-130J precisa de cinco aeronaves para isso", aponta a Secretaria de Defesa da Holanda em nota.

O secretário Christophe van der Maat afirmou que a estimativa de custos para o governo holandês com o acordo varia entre € 1 bilhão e € 2,5 bilhões (R$ 5,33 bilhões e R$ 13,33 bilhões no câmbio atual). Estão inclusos na projeção os gastos com manutenção.

A intenção é que o C-390M também participe do Comando Europeu de Transporte Aéreo, segundo a Secretaria de Defesa da Hoanda. "Esta é uma parceria na área do transporte aéreo de sete países europeus. A adição do C-390M beneficiará o agrupamento e o compartilhamento de capacidades em um contexto europeu", diz.

A venda para a Holanda é o terceiro contrato internacional do KC-390, cargueiro da Embraer cujo primeiro voo foi realizado em 2015. Portugal e Hungria já haviam adquirido respectivamente cinco e duas unidades. O contrato com Portugal foi de € 827 milhões.

A Força Aérea Brasileira (FAB), que originalmente havia feito um contrato para adquirir 28 aeronaves do modelo, no valor de R$ 7,2 bilhões, reduziu a encomenda duas vezes seguidas, para 22 e 15.

Em nota, a Embraer afirma que "está honrada com a decisão do Ministério da Defesa da Holanda de selecionar a aeronave de transporte multimissão C-390 Millennium".

"Reconhecendo que ainda há muito trabalho a ser feito nos próximos meses, estamos comprometidos com o sucesso desta nova fase de cooperação com o Ministério da Defesa da Holanda. Neste processo, a Embraer tem o compromisso de aprofundar ainda mais a colaboração com a indústria local e os centros de pesquisa", afirmou a companhia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos