Emendas de relator deixam de existir se a gente colocar dinheiro na reforma agrária, diz candidata em live da Folha

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A candidata a deputada federal por São Paulo Mariana Janeiro (PT) classificou as emendas do relator de "escárnio" e "abuso de poder". Ela diz, porém, que a ferramenta é difícil de combater.

"Se não pode com eles, junte-se a eles. Se a gente fizer uma boa bancada e colocar todo esse recurso do orçamento secreto na reforma agrária, eu te garanto que no ano seguinte esse orçamento deixa de existir", afirmou.

A candidata foi a primeira entrevistada desta terça-feira (20) em uma série de conversas que a Folha está promovendo, em lives pelo Instagram, com quem tenta uma vaga na Câmara dos Deputados por São Paulo.

Janeiro tenta um mandato coletivo na Câmara dos Deputados com a Chapa das Pretas. Ela já havia se candidatado ao mesmo cargo em 2018 e a vereadora pelo seu município, Jundiaí, em 2020.

Os direitos humanos são a principal pauta dela e de sua dupla, Fabiana Ferreira. Englobariam o tema a defesa do SUS, mudanças na política de drogas e de segurança pública e políticas para mulheres.

A candidata afirmou que anda com escolta por conta de ameaças e que eleger mais mulheres é uma forma de combater violência política de gênero. "O ambiente político não pode ser hostil a mais da metade da população brasileira", afirmou.

PRÓXIMAS LIVES

Márcia Rocha (Cidadania) - 11h30

Isa Penna (PC do B) - 13h30

Renata Abreu (Podemos) - 14h

Erika Hilton (PSOL) - 16h