Emílio Dantas diz que foi salvo pela paternidade: "Cheguei a perder 12kg"

Ator destacou o impacto da chegada dos filhos gêmeos, frutos da relação com a atriz Fabíula Nascimento

Emílio Dantas com Fabíula Nascimento e os filhos. Foto: André Horta/Brazil News/Delson Silva/AgNews
Emílio Dantas com Fabíula Nascimento e os filhos. Foto: André Horta/Brazil News/Delson Silva/AgNews

Resumo da notícia:

  • Emílio Dantas revela fase difícil antes da chegada dos filhos

  • Ator abriu o coração ao falar sobre paternidade

  • Ele integra o elenco de "Vai na Fé", que estreia na próxma segunda-feira (16)

Emílio Dantas estrela a primeira novela após a chegada dos filhos, Roque e Raul, frutos do relacionamento com Fabíula Nascimento. Os gêmeos completam um ano de vida na mesma semana em que o ator celebra o lançamento de "Vai na Fé", próxima novela das sete da TV Globo.

Durante o evento de lançamento da trama no Teatro Rival, no Rio de Janeiro, nesta terça-feira (10), o ator falou sobre voltar a trabalhar longe de casa, sem os pequenos por perto. "A sensação é sempre de querer voltar o mais rápido possível, porque não tem igual. A gente fica com aquela 'saudadinha' e vontade de ficar perto o tempo todo", admitiu o pai de primeira viagem ao falar com o Yahoo e outros veículos de imprensa.

Ele e Fabíula conseguiram seguir o plano de focar no cuidado com as crianças sem recorrer a babás nesse primeiro ano. "Com uma rede de apoio, de vizinhos, parentes próximos, mas sem a dependência, porque babá não é para o menino, é para você ter o seu tempo. E a gente não tem nada mais importante para dedicar o nosso tempo nesse momento a não ser eles", explicou ao dizer que a ideia é continuar dessa forma. "Para que eles criem um ambiente familiar de afeto, reconheçam na gente esse amparo, carinho e amor".

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Para Emílio, se tornar pai no último ano foi mais do que uma transformação, já que a paternidade ocorreu no momento em que ele se viu muito impactado pelas adversidade que acometeram o Brasil. O ator se refere a questões como a crise sanitária provocada pela pandemia e o governo conturbado do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

"Os meninos chegaram me salvando, porque eu estava muito mal. A tristeza que foi a pandemia, esse governo horroroso que a gente teve, criminoso. Fiquei muito triste mesmo. Destruiu muita coisa ao entorno da gente", lamentou.

Embora não tenha buscado um diagnóstico, o artista acredita ter vivido por uma depressão. "Foi me deteriorando. Eu cheguei a perder 12kg nesse últimos quatro anos. Eu não me diagnostiquei e acho errado ficar falando os termos sem um diagnóstico, mas acredito que tenha sido. E eles chegaram transformando esse meu mundo. Eles e o novo presidente", acrescentou, citando a vitória de Lula (PT) nas urnas para um terceiro mandato.