Emílio Dantas reavalia papel na Globo: "Foi errado eu ter feito Beto Falcão"

Ator repensou escolha em meio à discussão sobre maior representatividade negra na TV

No elenco de "Vai na Fé", próxima novela das sete da Globo, Emílio Dantas não foge às discussões sobre maior representatividade negra na TV. A produção escrita por Rosane Svartman, inclusive, promete ser um destaque nesse sentido: a trama será protagonizada por Sheron Menezzes e tem diversos atores negros escalados para outros papéis, como Elisa Lucinda, Bella Campos e Jean Paulo Campos.

"Veio esse trabalho maravilhoso. Só com amigo, com gente nova, gente preta, com diversidade. De repente, ganhei um presentaço na minha porta", disse Emílio a veículos de imprensa, um deles o Yahoo, durante evento de lançamento da novela, no Teatro Rival, no Rio de Janeiro, nesta terça-feira (10).

Questionado sobre a demora para ver atores negros em massa nas produções, o ator relembrou de seu cantor de axé baiano em "Segundo Sol", de 2018. A trama situada na Bahia e foi alvo de muitas críticas por ter um elenco tão branco no estado conhecido como o mais negro fora do continente africano. "Acho que foi muito errado eu ter feito Beto Falcão. Jamais deveria ter aceitado esse papel", admitiu o ator, sem responsabilizar o autor, nem a emissora pelas escolhas.

"Porque não condiz com a realidade. A Bahia é feita 95% de pretos. Quem merecia estar lá contando essa história era um preto. Não só merecia. Quem deveria estar contando essa história era um preto", ressaltou. "Eu acordei para isso muito tarde e é o tipo da coisa que cada um [tem seu] tempo para acordar". Agora mais consciente, ele reforça a necessidade de batalhar para que haja mais representatividade.