Emirates Airlines vai aceitar bitcoin na compra de passagens aéreas

No mundo, quase 30 mil empresas já aceitam criptomoedas como forma de pagamento. (Nicolas Economou/Getty Images)
No mundo, quase 30 mil empresas já aceitam criptomoedas como forma de pagamento. (Nicolas Economou/Getty Images)
  • Emirates quer usar blockchain, metaverso e criptomoeda para se conectar com os clientes;

  • Emirados Árabes Unidos já movimentam R$ 127 bilhões por ano em criptomoedas;

  • AirBaltic, da Letônia, já aceita o bitcoin para a compra de passagens.

A Emirates Airlines, a principal companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos e uma das maiores do mundo, anunciou que em breve vai começar a aceitar o bitcoin como uma forma de pagamento para passagens aéreas da companhia.

A empresa aérea pretende usar tecnologias digitais como blockchain, metaverso e criptomoeda como parte de seu plano para se conectar com os clientes. A Emirates tentará ainda usar a tecnologia blockchain para rastrear informações de voo, segundo informações do portal Arab News.

Os Emirados Árabes Unidos já movimentam cerca de R$ 127 bilhões (US$ 25 bilhões) por ano em criptomoedas. De acordo com dados da empresa de consultoria Chainalysis, de julho de 2020 a junho de 2021, os Emirados Árabes Unidos ficaram em terceiro lugar na região do Oriente Médio em termos de volumes de criptomoedas negociados.

O país só ficou atrás do Líbano R$ 132 bilhões (US$ 26 bilhões) e da Turquia R$ 673,3 bilhões (US$ 132,4 bilhões).

A Emirates não vai ser a primeira companhia aérea a aceitar a moeda digital como forma de pagamento. Desde de 2014, a AirBaltic, da Letônia, já aceita o bitcoin para a compra de passagens da empresa. A Volaris, de El Salvador, também adotou a moeda nas suas operações em 2021.

Cada vez mais popular

Somente no Brasil, mais de 900 estabelecimentos no Brasil já aceitam as criptomoedas em pagamentos, segundo a CoinMap. No mundo, esse número salta para quase 30 mil, com empresas como a Gucci, Rappi e Foxbit adotando a novidade.

Em 2021, o investimento em criptoativos no Brasil alcançou US$ 5,995 bilhões, segundo dados do Banco Central, o maior volume anual desde que o órgão começou a registrar as operações em 2017. Os dados até fevereiro mostram continuidade do crescimento, acumulando US$ 6,210 bilhões.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos