Empatados nas pesquisas, Fujimori e Castillo se enfrentam em debate presidencial no Peru

·1 minuto de leitura
Candidatos à Presidência do Peru Keiko Fujimori e Pedro Castillo

Por Marco Aquino e Marcelo Rochabrun

LIMA (Reuters) - Os dois candidatos presidenciais do Peru se enfrentaram no domingo em um debate marcado por propostas de gastos públicos maiores: a política de direita Keiko Fujimori ofereceu pagamentos em dinheiro e bônus, e o socialista Pedro Castillo propôs aposentadorias maiores.

Os candidatos estão empatados nas pesquisas de opinião antes do segundo turno de 6 de junho da eleição presidencial polarizada. A votação pode inclinar o país, um porto relativamente seguro para os investidores na América Latina, radicalmente para a esquerda ou reinstalar a polêmica família Fujimori no poder.

No domingo, Fujimori, filha do ex-presidente Alberto Fujimori, que está preso, revelou uma proposta de buscar mais contribuições das mineradoras peruanas.

Castillo, um professor do ensino básico, havia proposto elevar os impostos do setor.

A mineração é uma fonte crucial de renda e estabilidade econômica para o Peru, cujas finanças públicas continuam fortes, mas foram abaladas pela pandemia de Covid-19 -- a dívida pública e o déficit fiscal estão em alta.

Uma sondagem da Ipsos Peru ainda no domingo mostrou os dois candidatos a 2 pontos percentuais de distância um do outro e a diferença se estreitando na comparação com a pesquisa anterior do instituto.

Segundo o levantamento, o apoio a Castillo aumentou 2 pontos e chega a 42%, enquanto Fujimori subiu 3 pontos e tem 40% das intenções de voto. Os eleitores indecisos representam 18% dos entrevistados -- menos do que os 23% da pesquisa anterior.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos