Empiricus volta atrás e aceita ser regulada pela CVM

Bettina Rudolph, garota-propaganda do site de conteúdo sobre investimentos Empiricus. Foto: Reprodução / YouTube

Após uma série de embates, a casa de análise Empiricus aceitou ser regulada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

BAIXE O APP DO YAHOO FINANÇAS (ANDROID / iOS)

Para encerrar os processos em andamento com o regulador do mercado financeiro do Brasil, a Empiricus se comprometeu a obter o credenciamento perante a Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec) e pagar R$ 500.000,00 à CVM, a título de indenização a possíveis danos difusos ao mercado.

Leia também

A Procuradoria Federal Especializada junto à Autarquia (PFE-CVM) concluiu, entretanto, que não seria possível realizar o acordo, tendo em vista a ausência de proposta de indenização direcionada aos investidores lesados.

O Colegiado da CVM decidiu devolver o processo ao Comitê de Termo de Compromisso (CTC) para que a Empiricus comprove que superou os entraves apontados pela autarquia e, futuramente, uma nova apreciação da proposta da casa de análise.

O entrave para a celebração de um acordo entre CVM e Empiricus foi o ressarcimento a investidores que teriam sido lesados por práticas da companhia.

A Empiricus ficou famosa com um comercial exibido em vídeos do YouTube em que uma porta-voz da empresa, Bettina Rudolph, dizia ter “22 anos e 1 milhão e 42 mil reais de patrimônio acumulado".

A propaganda virou meme nas redes sociais e acabou rendendo à Empiricus uma multa do Procon-SP no valor de R$ 9,7 milhões por propaganda enganosa.

Em um vídeo recente, a empresa pediu desculpas porque, segundo ela, a “relação” com o público “começou errada”.