Empreendedora investiu R$ 50 mil em clínica de estética e hoje fatura R$ 80 mi

·2 min de leitura
Só em 2019, ano em que o franqueamento começou, a empresa faturou R$ 11 milhões. Foto: Getty Images.
Só em 2019, ano em que o franqueamento começou, a empresa faturou R$ 11 milhões. Foto: Getty Images.
  • Com a 'Emporium da Beleza', a empreendedora Ana Paula Ferro espera faturar R$ 200 milhões em 2022;

  • Em 2021, o negócio faturou cerca de R$ 80 milhões;

  • Para o ano que vem, um dos próximo passos da empresa é chegar a outros países.

“Quebrar a cara” é uma expressão que pode ser aplicada a muitas jornadas dentro do empreendedorismo. É com essa frase que Ana Paula Ferro define o próprio caminho profissional até chegar ao sucesso atual com a empresa que administra, a ‘Emporium da Beleza’, rede de clínicas de estética popular que faturou cerca de R$ 80 milhões em 2021.

Segundo a empresária, o aspecto mais difícil no percurso foi dar o próprio pontapé inicial, ou seja, encontrar um foco específico para empreender.

Desde o começo, em 2005, o negócio de Ana Paula apostou em diversas áreas, indo dos exercícios físicos até um salão de beleza.

Após as várias tentativas e erros, o foco se concentrou em tratamentos estéticos. Para abrir a primeira unidade da 'Emporium de Beleza', Ana Paula investiu R$ 50 mil. O retorno financeiro da unidade permitiu a abertura de um segundo espaço em 2009.

Leia também:

Foi quando o negócio começou realmente a despontar, possibilitando a dedicação integral da empreendedora com a empresa.

No começo, uma das táticas para garantir uma operação sustentável foi a compra dos equipamentos utilizados nos tratamentos estéticos ao invés de alugá-los.

Para bancar o investimento, Ana Paula elaborou vouchers de desconto no Groupon, chegando a vender 700 pacotes de uma vez.

A repetição da tática possibilitou o crescimento da empresa. Em 2010, a marca decidiu trazer para si a bandeira da democratização da estética e beleza para todas as esferas financeiras.

O resultado da nova abordagem foi mais sucesso, e, em 2014, a empresa passou a contar com seis unidades próprias.

Desse ponto em diante, até 2019, foram anos de estabilidade, preparados para uma nova empreitada: desenvolver o modelo de franquias da marca.

Só em 2019, ano em que o franqueamento começou, a empresa faturou R$ 11 milhões.

Meses depois, já em 2020, a pandemia se instaurou. Contudo, em meio ao caos, a marca de se reinventou com o e-commerce, também elaborando uma linha de cosméticos, chás e protocolos de emagrecimento, e tendo um total de 15 produtos e diversos atendimento virtuais com nutricionistas.

O plano deu certo, e durante o período nenhuma unidade fechou. O faturamento aumentou 309% em comparação ao ano anterior, chegando a R$ 20 milhões, e o número de lojas cresceu, chegando a 15 unidades. Até o fim deste ano a meta é ter 100 espaços abertos com o faturamento perto de R$ 80 milhões.

O próximo passo da empresa é expandir a rede para fora do país. Em 2022, duas unidades chegarão a Portugal, assim como lojas na Espanha, França, Reino Unidos, EUA e Canadá.

Como efeito, a expectativa de faturamento em 2022 é de R$ 200 milhões.

As informações são da Exame.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos