Empresária de moda oferece oficinas gratuitas de figurino e bijuterias para jovens negros

O Globo
·1 minuto de leitura

RIO — Criada em 2016 pela empresária e moradora do Recreio Bianca Silva, de 37 anos, a marca de acessórios e bijuterias Maria Moana trabalha com o ideal de empoderamento feminino e, agora, vai promover pela primeira vez oficinas gratuitas de figurino e de bijuterias e acessórios para jovens negros. As seis primeiras aulas serão on-line, e as últimas quatro, presenciais, em um ateliê no Santo Cristo. A carga horária é de 12 horas, distribuídas entre quinta-feira que vem e 11 de março. No encerramento, haverá um desfile de moda com as criações dos alunos para a Maria Moana no hotel Selina, na Lapa.

— Não é fácil entrar no mercado da moda, e tem muita gente que tem conhecimento, mas não a abertura e as ferramentas necessárias — observa Bianca. — Quero ajudar uma classe é marginalizada, de baixa renda e com poucas oportunidades; quero que as mulheres saibam que podem fazer daquilo um ofício. Vamos trabalhar com materiais sustentáveis e fomentar o design criativo.

O projeto Moda Para Todos foi selecionado pela Lei Aldir Blanc, que prevê auxílio emergencial ao setor cultural, e terá Val Neves, do Varal da Val, e Karine Priscila, da Negrita Modas, como professoras.

— Busquei mulheres negras com representatividade no mercado e histórias de vida bonitas. A Val produz suas próprias peças, e a Karine cria o seu próprio tecido com estampas peculiares. Quis trazer essa exclusividade para a oficina. Queremos que as alunas trabalhem a sua criatividade e vejam que é possível vender o que produzem — diz a empresária.

São 60 vagas, e as inscrições terminam domingo (21), pelo site bit.ly/modaeparatodos. Outras informações: projetomodaeparatodos@gmail.com.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)