Empresário é suspeito de agredir ex em festa escolar no Rio

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O empresário Roberto Rzezinski está sendo investigado como suspeito de agredir uma mulher, mãe da filha de oito anos dele. De acordo com boletim de ocorrência, ao qual a Folha de S.Paulo teve acesso, a vítima relata que foi xingada e agredida dentro de uma escola tradicional da zona sul Rio de Janeiro, durante uma apresentação de estudantes, no sábado (5).

A advogada do empresário, Tathiana Costa, nega a agressão. "O sr. Roberto refuta as injustas acusações feitas a ele e sua esposa e que os fatos mencionados permeiam uma disputa em vara de família", disse, em nota.

Rzezinski chegou a ser preso em 2018 sob suspeita de ter recorrido ao esquema de Vinicius Claret e Cláudio Barbosa, delatores da Operação Câmbio, Desligo. Segundo o controle de transações da dupla, Robertinho, como é conhecido, e o irmão gêmeo Marcelo trocaram, entre 2011 e 2017, US$ 12 milhões de dólares depositados em contas no exterior por reais em espécie no Brasil.

Os delatores afirmam que ouviram dos irmãos que o cliente era um político do MDB. Ele responde em liberdade à acusação e, na época, afirmou à Polícia Federal que "que nunca prestou qualquer serviço a partido político ou a órgão público".

O empresário também é conhecido por ter sido sócio do apresentador Luciano Huck em uma empresa de distribuição de ingressos. Na ocasião da prisão de Rzezinski, Huck afirmou, via assessoria, que a empresa de ingressos tinha muitos sócios e ele não era controlador nem gestor da firma.

Xingamentos e agressão Segundo a versão da vítima à Deam (Delegacia de Atendimento à Mulher) do centro do Rio, a guarda da filha de oito anos é compartilhada entre os pais e, no final de semana do fato, a criança ficaria com o empresário. No entanto, a mãe decidiu comparecer à apresentação da feira literária da escola.

Ainda de acordo com o relato, ao vê-la na escola, Rzezinski e sua esposa, Jade Carvalho, a teriam interpelado de forma agressiva sobre a sua presença no local.

Ainda segundo o relato, Jade também a teria xingado na frente de outros pais e da criança. O empresário teria " colocado o celular no rosto da declarante e passou a filmá-la para intimidá-la e constrangê-la na frente de todos", diz trecho do relato à Deam.

A vítima teria empurrado o aparelho, que caiu ao chão. Teria sido nesse momento que as agressões tiveram início, segundo a versão contada na delegacia. "O autor começou a empurrá-la e apertá-la, atitude esta que a deixou lesionada no braço direito e algumas dores no braço esquerdo; QUE a declarante fez atendimento médico", diz trecho do depoimento.

A mulher fez exame de corpo de delito que apontou para lesões nos braços. Na segunda (7), a Justiça lhe concedeu medida protetiva.

Após a queixa na delegacia, Rzezinski deixou o país e deve retornar no dia 16, conforme plano de viagem.

A Polícia Civil confirmou a investigação, que segue sob sigilo.