Empresário Raymundo da Fonte, 99, morre de Covid-19

JOÃO PEDRO PITOMBO

SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - Um dos maiores empresários da região Nordeste, o pernambucano Raymundo da Fonte, 99, morreu nesta quinta-feira (7) por complicações da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

O empresário era o dono e fundador das Indústrias Reunidas Raymundo da Fonte, conglomerado com 2.700 funcionários e cinco fábricas espalhadas por Pernambuco, Ceará, Bahia, Pará e Rio de Janeiro.

A empresa atua na fabricação de cerca de 350 itens de limpeza, higiene pessoal e condimentos com marcas como Brilux, Sonho, Even e Minhoto. Produz anualmente 250 milhões de litros de água sanitária, 200 milhões de sabonetes, 70 milhões de litros de vinagre e 45 milhões de litros de amaciante.

Raymundo da Fonte fundou a sua primeira indústria em 1946, aos 25 anos, na cidade de Paulista, no Grande Recife. A primeira linha de produção foi de espirais que repelem mosquitos.

Nos anos 1960, passou a atuar no segmento de produtos de limpeza e, na década seguinte, entrou no ramo de alimentos.

Empresário Raymundo da Fonte, que morreu nesta quinta (7) com Covid-19 Divulgação / IRRF **** Com a criação de novas marcas e indústrias, o grupo tornou-se um dos maiores conglomerados do Nordeste.

O empresário morreu em sua casa no bairro de Boa Viagem, em Recife. Deixa a esposa, oito filhos, 45 netos e 86 bisnetos.

O sepultamento, que aconteceu na noite desta quarta, foi restrito à família e seguiu os protocolos dos órgãos de saúde e vigilância sanitária.

Em nota, o grupo Raymundo da Fonte destacou a trajetória de seu fundador e a sua determinação no comando da empresa: "Os seus gestos de cuidado e carinho, além da sua sabedoria e fé na vida, formaram a semente germinada que até hoje dão frutos".

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), manifestou solidariedade à família e disse que o "estado perdeu um dos seus empreendedores mais expressivos".