Empresários pedem para suspender restrições ao comércio antes do Dia das Mães

JOANA CUNHA
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Empresários do comércio e dos serviços estão pedindo para governadores e prefeitos suspenderem as atuais restrições de horário de funcionamento e capacidade de seus estabelecimentos nas vésperas do Dia das Mães. A data é a segunda mais importante no calendário anual do varejo no Brasil.

O pedido é para que as autoridades deixem os shoppings abertos por 12 horas diárias com até 60% da capacidade entre os dias 1º e 9 de maio. Eles argumentam que as medidas distribuiriam o público, evitando eventuais aglomerações nas portas das lojas em um momento de alta demanda.

Apesar das recentes flexibilizações nas restrições pelo país, os setores têm receio de que as barreiras ainda vigentes, como as de São Paulo, repitam o desastre de vendas do ano passado. Em 2020, as vendas do Dia das Mães caíram mais de 90%, segundo as entidades setoriais.

"Vamos estar com todos os shoppings abertos, mas trabalhando com restrição de 25%, oito horas por dia e alguns sem serviços. Estamos fazendo esse pleito porque, senão, vai causar tumulto", diz Glauco Humai, presidente da Abrasce, associação dos shoppings, um dos setores que assina o pedido.