Empresários são alvos de busca e apreensão por fraude e coação em loja de pneus em Ramos, Zona Norte do Rio

Agentes da 21ª DP (Bonsucesso) cumprem na manhã desta sexta-feira (17) seis mandados de busca e apreensão contra um grupo de empresários que coagiam motoristas a pagarem valores exorbitantes após trocas de pneus em uma loja de Ramos, na Zona Norte do Rio. Os investigadores da distrital descobriram ainda que durante a troca dos acessórios, na sede da empresa, os funcionários da loja retiravam peças novas dos veículos alegando estarem com problemas, forçando os motoristas a pagarem ainda mais pelo reparo.

Entre os alvos dos mandados de busca e apreensão estão dois sócios, além de um gerente. Eles foram indiciados.

De acordo com o delegado Hilton Alonso, titular da 21ª DP, a fraude possuía algumas ramificações, mas em regra consistia “em ofertar uma promoção de troca de pneus na internet por um preço abaixo do mercado e após captar esses clientes para o serviço de troca de pneus, esses clientes eram constrangidos a realizar outros serviços muito mais caros, não solicitados e em regra desnecessários”.

— Em alguns casos, as peças dos veículos eram trocadas sem autorização do cliente e o carro não era liberado até o pagamento, sendo constatado por perícia que algumas peças indicadas nas notas de serviços nem eram trocadas. Em outros casos, após retirar de peças, os clientes alegam que ouviam barulhos de marteladas e posteriormente eram informados do dano existente em suas peças que tinha sido retiradas e levadas para um local no interior da oficina — conta o delegado.

De acordo com a 21ª DP, os responsáveis pela empresa já foram indiciados em outros inquéritos “pelos crimes de estelionato, dano e associação criminosa”.

— Diversos IPs (inquéritos policiais) já foram finalizados e encaminhados à Justiça, onde após o oferecimento da denúncia do Ministério Público, foram recebidos e atualmente embasaram a abertura de processos criminais, ainda assim, o grupo prosseguiu na aplicação dos golpes, conforme os novos registros realizados na delegacia — destacou Alonso.

A investigação apontou que a empresa “já modificou seu CNPJ, embora tudo tenha permanecido como antes, visando burlar a justiça e os clientes lesados”.

— No site reclame aqui, foram encontradas dezenas de reclamações dessa empresa com o mesmo modo de agir indicado pelas vítimas dos inquéritos policiais. O cumprimento de seis mandados de buscas na empresa e nas residências dos acusados, visa a obtenção de provas, tais como a relação de funcionários da empresa (mecânicos), já que os sócios alegam não assinarem as carteiras de trabalho e não possuírem nem mesmo os contatos desses funcionários que são sempre substituídos por outros — disse o delegado, que completou:

— Está caracterizado, com indiciados, que eles se valem da estrutura da empresa para aplicar golpes nos clientes, superfaturando peças e cobrando por serviços não realizados. O modus operandi é sempre o mesmo, ora danificando peças dos veículos dos clientes para forçá-los à troca, ora simplesmente cobrando por serviços desnecessários ou não realizados. Peço que as vítimas que ainda não tenham registrados suas ocorrências, que se dirijam a 21ª DP, munidas da documentação pertinente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos