Empresa alemã de software SAP planeja sair totalmente da Rússia

·1 min de leitura

Por Supantha Mukherjee

ESTOCOLMO (Reuters) - A empresa de software empresarial SAP planeja sair totalmente da Rússia diante da invasão à Ucrânia por Moscou, embora tenha dito na semana passada que pode ser possível que usuários russos executem seu software por anos sem suporte.

A SAP juntou-se a uma longa lista de empresas, incluindo a rival Oracle, ao suspender a venda de seus serviços e produtos na Rússia. Desde então, empresas como a fabricante de equipamentos de telecomunicações Nokia e a Goldman Sachs saíram.

A fabricante alemã de software para gerenciamento de processos de negócios não está fornecendo suporte ou atualizações para clientes sancionados, disse o diretor financeiro da SAP, Luka Mucic, a repórteres, acrescentando que o impacto total disso pode levar tempo.

"Não há um botão vermelho mágico que a SAP possa pressionar para fazer com que essas licenças de software desapareçam dos computadores", disse Mucic sobre os produtos, vendidos como softwares licenciados ou por assinatura através da nuvem.

Como parte de seu desligamento da nuvem, a SAP deu às empresas não sancionadas a opção de excluir seus dados ou migrá-los para um data center fora da Rússia.

"Aqueles clientes de nuvem russos que escolheram o caminho da migração, não renovaremos suas assinaturas de nuvem existentes", disse Mucic, acrescentando que esses contratos duram em média um pouco mais de três anos.

Os negócios da SAP na Rússia, onde opera há mais de 30 anos, contribuem com uma pequena parte de sua receita global. Seus negócios na região, incluindo Rússia, Belarus e Ucrânia, representam cerca de 1,5% no total.

A SAP disse que se concentrará em gerenciar o impacto de sua saída em mais de 1.200 funcionários na Rússia. Mucic disse que finalizaria o plano de liquidação nos próximos meses.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos