Empresa diz que realocou brasileira que contou ter sido tirada de voo por ser "gorda"

Modelo brasileira diz ter sido barrada em voo por companhia por ser 'gorda demais - Foto: Reprodução
Modelo brasileira diz ter sido barrada em voo por companhia por ser 'gorda demais - Foto: Reprodução
  • Empresa teria impedido brasileira de entrar em voo por ser "gorda demais"

  • Em nota, companhia garantiu que realocou a modelo plus size

  • Juliana havia dito que foi vítima de gordofobia por parte da empresa

A companhia aérea Qatar Airways informou que realocou a modelo brasileira plus size Juliana Nehme, de 38 anos, que relatou ter sido barrada de um voo por ser "gorda demais".

Em nota, a empresa comunicou que a paulista foi realocada para outro voo e garantiu que um acompanhante dela não havia apresentado a documentação necessária para entrar no Brasil.

Juliana compartilhou vídeo nas redes sociais na última quarta-feira (23) afirmando que foi vítima de gordofobia quando tentava embarcar no Líbano.

A modelo esteve com a família e embarcaria em uma conexão para Doha para, na sequência, seguir para São Paulo.

Juliana disse que a companhia aérea afirmou que ela não tinha direito à passagem econômica, adquirida por de US$ 1.000 (cerca de R$ 6 mil), e que teria que adquirir uma executiva por US$ 3 mil dólares (R$ 16 mil) ou dois bancos comuns para "caber no assento".

"Eles estão negando o meu direito de viajar (...) eu estou desesperada, me ajudem, eles não querem que eu embarque porque eu sou gorda", desabafou a modelo na rede social.

A modelo disse ainda ter se sentido descriminada pela companhia.

"Que vergonha uma empresa como a Qatar permitir esse tipo de discriminação com as pessoas! Sou gorda, mas sou igual a todo mundo!", afirmou Juliana.