Empresa paga 5 mil reais para pessoas comerem queijo antes de dormir; entenda

Boa notícia para os fãs de queijo: você pode receber US$ 1 mil, o equivalente a R$ 5,13 mil, na cotação atual, apenas para comer diferentes tipos do alimento e depois dormir. O valor está sendo oferecido pelo site especializado em sono e colchões Sleep Junkie, dos Estados Unidos, como parte de um experimento para avaliar a relação entre a comida e os pesadelos.

Sente cansado ou com falta de ar? Saiba os 13 sintomas que indicam deficiência de ferro e quando procurar um médico

Adesivos de RNAm: Tecnologia de vacina de Covid é usada com sucesso como antirrugas nos EUA

Há uma crença de que comer queijos antes de dormir pode levar a pessoa a ter sonhos mais intensos e negativos. Essa ideia já foi alvo de alguns estudos, embora pequenos e inconclusivos. Agora, os responsáveis pela nova pesquisa querem descobrir se de fato há uma probabilidade maior de o sono ser ruim após ingerir o alimento – e se existem diferenças entre os tipos de queijo.

“Todo mundo conhece o conto da carochinha de que comer queijo antes de dormir pode causar pesadelos, mas realmente queríamos saber o quanto de verdade havia nisso”, diz a especialista de sono da Sleep Junkie, Dorothy Chambers, em comunicado.

Para isso, estão chamando um total de cinco participantes para participar do experimento, em que cada um receberá mil dólares pela contribuição e todos os alimentos serão custeados pela Sleep Junkie. Após escolher os candidatos, a empresa fornecerá uma lista com os queijos que devem ser consumidos durante a semana. Cada tipo deverá ser ingerido no mesmo horário todos os dias, logo antes de dormir, durante uma semana.

Dieta mediterrânea: Eleita a melhor do ano, opção é realmente boa para a sua saúde; tire as principais dúvidas sobre ela

Em seguida, a pessoa passará por sete dias sem comer nenhum queijo para, na semana seguinte, repetir os testes com outro tipo do alimento. O objetivo dos intervalos entre cada tipo é garantir que um não influencie os resultados do outro.

“Sabemos que não são apenas os pesadelos que podem prejudicar uma boa noite de sono, por isso queríamos ver se havia uma ligação entre os diferentes tipos de queijo e outros sintomas que podem deixá-lo inquieto”, diz Dorothy.

Durante a pesquisa, serão utilizados indicadores de monitoramentos de sono, com relógios inteligentes, e os selecionados deverão preencher relatórios semanais sobre os sonhos. O estudo terá duração de três meses, de março a junho.

Receita saudável e com uma panela só: Aprenda a fazer um salmão com arroz de coco

Para se candidatar ao posto, os requisitos são: ter ao menos 21 anos; possuir um smartwatch que monitore o sono; ter uma rotina consistente de horários para dormir e acordar e passar a noite sozinho durante o período do experimento. Além disso, a pessoa não pode sofrer de distúrbios do sono e ter intolerância a laticínios.

O formulário para se candidatar está disponível no site da empresa, porém é restrito para moradores dos Estados Unidos. O experimento pode não ser suficiente para definir de uma vez por todas se o queijo influencia ou não o sono – uma vez que estudos maiores, com mais rigor científico, ainda não são considerados conclusivos –, porém pode acrescentar novas evidências à discussão.