Empresa pede dinheiro emprestado aos funcionários

Pixabay

A empresa chinesa HNA Tech decidiu adotar uma medida nada conservadora para tentar impedir sua falência. De acordo com o jornal The New York Times, o grupo pediu aos seus funcionários um empréstimo de US$ 90 bilhões para quitar dívidas. As mensagens foram enviadas por e-mail aos empregados e promoviam um “tesouro para os funcionários”, prometendo um retorno de 8,5% ao mês para quem investisse US$ 1.500. Quem investisse US$ 15 mil teria um retorno de 40% ao mês, de acordo com a companhia.

Especialistas consultados pela publicação indicam que não se trata de um investimento, como foi “vendida” a oferta, mas de um empréstimo que tornaria a empregadora um devedor, enquanto seus colaboradores seriam os credores.

A chinesa teria contraído dívidas bilionárias devido a uma série de compras de multinacionais como o Deutsche Bank e a rede de hotéis Hilton. A empresa é uma das sete criticadas pelo governo por realizarem compras de negócios internacionais, o que poderia resultar em dívidas tão grandes que poderiam afetar a economia do país.

A HNA também tem enfrentado problemas com o aumento em seus juros de empréstimos, o que pode indicar a preocupação de credores em relação ao pagamento do valor. Com isso, a empresa estaria começando a vender seus ativos.

Anne Stevenson-Yang, co-fundadora da J Capital Research acredita que a atitude é “uma medida de desespero quando as empresas realmente não têm outra fonte de financiamento e estão presas”, afirma.

Questionado, Thomas Clare, advogado da HNA, informou que as ofertas de investimentos são uma forma de incentivar-los a compartilhar o sucesso da empresa. “A HNA nunca abordou a oferta desses produtos como um mecanismo de financiamento, já que os montantes dos empregados representam um percentual pequeno perto dos fundos arrecadados”, detalha.