Empresa que fabricou tanque de guerra do Brasil usado em desfile fechou em 1982

·3 min de leitura
Brazilian President Jair Bolsonaro along with Armed Forces commanders and ministers, attend a military vehicles paradre in front of the Planalto Palace in Brasilia, on August 10, 2021. - Bolsonaro is accused of using the armed forces for a show of force to intimidate National Congress, where a bill is being debated to modify the electronic voting system. (Photo by EVARISTO SA / AFP) (Photo by EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Exibição da Marinha foi feita pela primeira vez em Brasília (Foto: Evaristo Sá/AFP via Getty Images)
  • Tanque usado em exibição da Marinha foi fabricado por empresa que fechou em 1982

  • Veículo soltou fumaça preta e chamou atenção dos espectadores do desfile militar

  • Exército tem tanques mais modernos, mas não foram usados para exibição desta terça

Durante o desfile militar desta terça-feira (10) em Brasília, a Marinha utilizou diversos equipamentos para demonstrar as forças terrestres da instituição. No entanto, havia apenas um tanque, o SK-105 Kürassier.

O veículo é um do 17 que a Marinha tem. O modelo foi produzido pela empresa austríaca Saurer-Werk, que operou entre 1903 e 1982, quando fechou. Os tanques que o Brasil tem passaram a ser produzidos pela companhia em 1970. Segundo a Folha de S. Paulo, os carros de combate foram incorporados em 2001.

Muitos espectadores do desfile chamaram a atenção para o fato de o tanque soltava uma fumaça, o que virou piada nas redes sociais.

Leia também

O Exército, por sua vez, teria tanques alemães mais modernos, mas os modelos não foram utilizados no destile desta terça-feira. A Marinha fez o evento militar para entregar um convite ao presidente Jair Bolsonaro, para que ele participasse da Operação Formosa, um treinamento que acontecerá em 16 de agosto.

O evento aconteceu em Brasília no mesmo dia em que a Câmara dos Deputados vai votar a PEC do voto impresso. Normalmente, o destile acontece em Goiás, no Centro de Instrução de Formosa, não na capital federal.

Confusão de tanques

O deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ) utilizou uma foto da China para elogiar o desfile de tanques da Marinha, que aconteceu em Brasília nesta terça-feira (10).

Na publicação, ele exaltou o ato militar desta manhã. "Nunca uma simples manobra militar mexeu tanto com meu patriotismo", escreveu Otoni de Paula.

A foto utilizada, no entanto, não mostrava tanques brasileiros, mas chineses. O registro fazia parte da comemoração dos 70 anos de Pequim, na China, realizada na praça Tiananmen, em 2019. A foto, da agência EFE, é uma das primeiras que aparecem em sites de busca ao procurar os termos "desfile militar tanques".

Após a confusão de Otoni de Paula, a publicação virou motivo de piada de opositores. Um dos aspectos mais apontados nas redes sociais foi o fato de o bolsonarista ter usado imagens de um país comunista para exaltar o governo Bolsonaro, que constantemente ataca a esquerda.

Entenda o evento da Marinha desta terça

Na manhã desta terça-feira (10), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) recebeu o convite da Marinha para a Operação Formosa, treinamento militar que acontecerá no dia 16 de agosto e contará com 2,5 mil militares.

A entrega do convite foi feita ao final de uma exibição de tanques, que passou pela Praça dos Três Poderes e chegou até o Palácio do Planalto, onde o presidente acompanhava o desfile, ao lado do ministro da Defesa, general Braga Netto.

O desfile acontece no mesmo dia em que a Câmara dos Deputados vota a Proposta de Emenda à Constituição para a volta do voto impresso, proposta que tem sido defendida assiduamente pelo presidente da República. A expectativa é que a PEC seja reprovada pelos parlamentares, assim como foi rejeitada na Comissão Especial que tratava do assunto.

Sobre o desfile, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), aliado de Bolsonaro, lamentou a "trágica coincidência" de o evento acontecer no mesmo dia da votação. A Marinha, responsável pelo desfile, negou qualquer relação com a decisão sobre o voto impresso.