Empresária acusa advogado de agredi-la em clube de SP após discussão por colete salva-vidas

·2 minuto de leitura
Tatiane foi agredida em um clube no interior de São Paulo - Foto: Arquivo Pessoal
Tatiane foi agredida em um clube no interior de São Paulo - Foto: Arquivo Pessoal
  • Empresária foi agredida em um clube na cidade de Taquaritinga, no interior de São Paulo

  • Ela acusa um advogado e seu filho de terem a atacado no bar do local

  • Tatiane relatou que o episódio aconteceu após ela discutir com a esposa do advogado

Uma empresária acusou um advogado e seu filho de terem a agredido em um clube na cidade de Taquaritinga, no interior de São Paulo. O ataque teria sido motivado por uma discussão por causa de um colete salva-vidas.

De acordo com informações do G1, o caso aconteceu no último domingo. Tatiane Priscila Aguirre Marão passava a tarde no Clube Náutico da cidade com a filha, uma amiga e o filho dela quando o grupo decidiu dar uma volta no jet ski de um outro amigo.

Leia também

“Quando o nosso amigo encostou, a gente pediu para ele levar as crianças, mas ele tinha esquecido o colete na barraca e foi pegar um com os amigos. Ele voltou com um colete e levou minha filha. Depois, o filho da minha amiga”, explicou a empresária ao G1.

“Mas, nesse tempo, veio uma mulher, começou a agredir a gente com palavras e tomou o colete. Eu revidei, perguntei qual era o problema, e ela falou: ‘O problema é que o colete é meu e eu não vou emprestar’. Nisso, ela começou a xingar a gente de tudo que é nome", completou.

Empresária mostrou o resultado das agressões - Foto: Arquivo Pessoal
Empresária mostrou o resultado das agressões - Foto: Arquivo Pessoal

Tatiane relatou ter devolvido o colete e ido com seu grupo para o bar do clube. Quando estava na fila, ela teria sido surpreendida pela agressão do advogado Ronnie Clever Boaro, marido da mulher com que a empresária discutiu.

"Eu comecei a ouvir uma gritaria. Ele já veio me dando soco, deu um soco no meu olho, puxou meu cabelo, me jogou no chão e começou a me chutar junto com o filho dele. Foi horrível, não tinha motivo para nada disso", disse.

Questionado pela empresária sobre o motivo do ataque, Ronnie teria dito que ela ofendeu sua esposa. Um grupo juntou-se para conter o agressor, mas ele só deixou o local ao perceber a aproximação dos seguranças.

“Não tinha necessidade de ter acontecido tudo isso, era só ela chegar e falar que não queria que as crianças usassem o colete. Eu mesma teria tirado e devolvido, porque eu não preciso disso”, afirmou Tatiane.

Ferimentos pelo corpo

A empresária sofreu ferimentos no rosto nos braços e nas costas e foi encaminhada à Santa Casa, onde foi medicada e liberada.

A mulher solicitou imagens do circuito interno do clube para apresentar à polícia. Segundo ela, Ronnie já havia sido proibido de frequentar o local justamente por causa de seu comportamento.

Polícia investiga o caso

O delegado Claudemir Aparecido Pereira da Silva explicou que o caso vai ser investigado como lesão corporal e injúria pela polícia de Taquaritinga. Ronnie, sua esposa e outras testemunhas prestarão depoimento nos próximos dias.

Em nota, o Clube Náutico Taquaritinga lamentou o ocorrido e suspendeu o agressor preventivamente por 30 dias. “A violência precisa ser debatida e combatida com firmeza”, considerou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos