Empresário é preso após atirar contra assaltante já rendido por policial em SP

Empresário foi preso após disparar contra suspeito rendido - Foto: Reprodução/TV Globo
Empresário foi preso após disparar contra suspeito rendido - Foto: Reprodução/TV Globo
  • Empresário foi preso depois de atirar contra suspeito já rendido pela polícia

  • Ele havia sido vítima de uma tentativa de assalto, quando perseguiu o suspeito e disparou

  • João Henrique Stakoviak possui antecedentes criminais e disse que não havia visto o policial

Um empresário foi preso na última sexta-feira (26), em São Paulo, após atirar contra um assaltante já rendido pela polícia. O rapaz detido foi identificado como João Henrique Marfim Stakoviak, de 38 anos.

Stakoviak foi preso por porte ilegal de arma e tentativa de homicídio. O responsável pelo assalto, identificado como Sidney Fernandes, de 40 anos, também acabou detido.

De acordo com informações do UOL, o caso aconteceu quando o empresário parou seu Porsche em um posto de combustíveis para abastecer. Sidney se aproximou com uma arma falsa e tentou levar o relógio do rapaz, avaliado em R$ 40 mil.

O suspeito conseguiu escapar do local, mas foi perseguido por um policial civil, que efetuou um disparo contra sua perna e conseguiu rendê-lo.

Com o assaltante dominado pelo agente, Stakoviak se aproximou e atirou. A bala atravessou o braço e atingiu as costas do rapaz.

O empresário foi preso em flagrante e levado ao 27º DP (Campo Belo). Já o assaltante foi encaminhado a um hospital, sob custódia policial.

Depoimento do empresário

À polícia, Stakoviak disse que não havia visto o policial civil dominar o assaltante e, como "acreditava ser um cidadão que estava sendo roubado", decidiu disparar seu revólver, por acreditar que o suspeito estava armado.

O empresário também garantiu que "não tinha intenção de matar" o rapaz, apenas "defender-se". Por isso, disparou contra o braço dele.

A prisão de Stakoviak foi decretada pela juíza Tonia Yuka Koruko, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), que destacou a "personalidade violenta do rapaz". A defesa do empresário considerou a detenção "um equívoco".

Antecedentes criminais

Stakoviak possui antecedentes e foi processado em duas oportunidades por ameaças, em junho de 2015 e junho de 2022. O empresário também tem um inquérito policial registrado na 2ª Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, com medida protetiva, aberto em 2021.

Já Sidney Fernandes tem passagens pela cadeia por roubo em 2005 e 2007, além de uma medida protetiva registrada em 2015. Ele cumpriu as penas anteriores.