Empresário que atirou em imagem de Lula já jogou ovos em caravana do PT

Caso envolvendo o empresário que atirou em imagem de Lula aconteceu em 2018, em Santa Catarina, quando uma caravana do PT foi atacada com ovos. (Foto: HEULER ANDREY/AFP via Getty Images)
Caso envolvendo o empresário que atirou em imagem de Lula aconteceu em 2018, em Santa Catarina, quando uma caravana do PT foi atacada com ovos. (Foto: HEULER ANDREY/AFP via Getty Images)
  • Empresário que praticou tiro ao alvo em imagem de Lula já jogou ovos em caravana do petista;

  • Na época, Luiz Henrique Crestani abriu ação contra o petista, alegando ter sido ofendido após ataques;

  • Ele agora será investigado pela PF devido ao vídeo publicado.

O empresário bolsonarista Luiz Henrique Crestani, investigado após publicar um vídeo em que pratica tiro ao alvo em uma imagem de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), já jogou ovos em caravana do petista que passava por São Miguel Do Oeste (SC) em 2018.

Na época, Crestani admitiu o feito, mas entrou com uma ação na Justiça pedindo indenização de R$ 100 mil por ter sido ofendido por Lula e pelo deputado federal Paulo Pimenta (PT). Em discurso no palanque, Pimenta atribuiu os ataques a ele e a outros empresários, chamando-os de “milícia criminosa de bandidos” e “criminosos”.

Lula, segundo o processo, não nominou diretamente Crestani, mas xingou os responsáveis de “canalhas” e os acusou de “terem fama de bandidos” por serem “proprietários de terras e fazendas que ninguém sabe como eles compraram”.

A ação aponta que a caravana dos políticos foi recebida com "arremesso de objetos, ovos e até pedras, contra o ônibus que os trazia, causando inclusive danos em seu para-brisa”. Crestani, por sua vez, disse que não teve o "intuito de ferir alguém, mas de demonstrar a indignação com o maior esquema de corrupção já visto no universo”.

A Justiça de Santa Catarina concluiu que a ação é improcedente, já que a manifestação “atingiu o ônibus e seu caminho de forma agressiva”. "Então, foi o autor quem primeiro cometeu ofensas, verbais e materiais, contra o réu e seu grupo. Ele que optou por levar o embate para a arena das ofensas e estabelecer um diálogo de baixo nível. Mas agora pretende-se melindrado por receber respostas de equivalente qualidade", destacou o juiz Daniel Emendorfer.

O empresário recorreu e o caso segue em tramitação no Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC).

Tiro ao alvo

O chefe da segurança da campanha do ex-presidente Lula (PT) pediu que a Polícia Federal abra um inquérito para investigar Luiz Henrique Crestani depois do vídeo em que ele aparece atirando com uma espingarda em um desenho de Lula. Acima, está a mensagem “atire no ladrão”.

Na gravação, o empresário está ao lado da esposa e diz “Qual que é o ladrão? Estou na dúvida. Vamos ver onde a arma pega”. Em seguida, ele dispara seguidas vezes. O caso foi revelado pelo jornal O Globo.

O pedido da segurança da campanha de Lula foi feito nesta quinta-feira (22) à Corregedoria da Polícia Federal. O delegado responsável pela segurança do petista, Andrei Augusto Passos Rodrigues, pede que a esposa do empresário também seja investigada.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente: