Empresas aéreas farão transporte gratuito de vacinas contra a Covid-19, diz ministério

Manoel Ventura
·1 minuto de leitura
André Coelho / Agência O Globo

BRASÍLIA — O Ministério da Saúde informou nesta quinta-feira que fechou acordo com a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) para o transporte de insumos e vacinas contra o novo coronavírus para os estados e municípios sem custo para o governo brasileiro.

O acordo compreende as empresas Azul, Gol, Latam e Voepass. "A ação visa apoiar a logística de distribuição das doses aos estados e municípios, a fim de acelerar o início da vacinação, depois que os imunizantes obtiverem registro junto à Anvisa", diz nota divulgada pelo Ministério da Saúde.

O presidente da Abear, Eduardo Sanovicz, disse que as companhias aéreas brasileiras estão engajadas em contribuir para que a distribuição das vacinas seja realizada da forma mais ágil possível.

“Estamos cientes dos desafios, mas estamos muito orgulhosos e preparados para essa missão histórica”, afirmou.

Nesta quarta-feira, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que as primeiras vacinas contra a Covid-19 podem estar disponíveis para distribuição e aplicação na população brasileira a partir de meados de fevereiro. O ministro considerou o atual estágio dos imunizantes em desenvolvimento por AstraZeneca/Oxford e Sinovac/Butantan.

Segundo o governo, 49,6 milhões de pessoas serão vacinadas nas três primeiras etapas do plano. De acordo com o Ministério da Saúde, a vacinação no Brasil deve ser concluída em 16 meses — quatro meses para vacinar todos os grupos prioritários e, em seguida, 12 meses para imunizar a "população em geral".

A vacinação ainda não tem uma data para começar. O governo afirma que é preciso esperar a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar o registro de vacinas. Até agora, nenhum pedido de registro chegou ao órgão.