Enem 2019: professores dizem que prova de Ciências da Natureza ficou mais fácil; Matemática ficou mais complexa

Johanns Eller e Matheus Rocha
Estudantes fazem prova do Enem 2019 no Colégio GISNO, em Brasília

RIO — Professores inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e que fizeram a avaliação do segundo dia de provas avaliaram que os conteúdos de biologia e física deste ano foram mais fáceis do que nas edições anteriores, enquanto a prova de matemática se mostrou mais extensa e complexa.

O professor de química do pré-vestibular Descomplica Allan Rodrigues afirma que caíram questões clássicas de eletroquímica, termoquímica e estequiometria. Houve ainda algumas surpresas, como questões de modelo atômico, conteúdo que não costuma cair.Além disso, apenas duas questões exigiam que o aluno fizesse contas:

— Em relação ao ano passado, essa prova estava mais tranquila. Na minha opinião, como não cobrou tanta conta, a prova de química acabou ficando mais fácil. A única surpresa que teve foram mesmo as questões de modelo atômico.

Marcus Aurélio, professor de Química do COC Atibaia, as questões da disciplina estavam mais fáceis do que nas edições anteriores do Enem. Aurélio destacou a cobrança de temas ambientais, como a formação do solo.

— Não houve questões capciosas ou polêmicas, e poucas remetiam a outras matérias, como a geografia. O aluno que soube interpretar as questões pode ter um bom desempenho — analisa o docente.

Já no caso de Matemática, o professor Felipe Freire, do Sistema SOC de Ensino, avalia que a cobrança superou a dos anos anteriores. As questões ficaram, na sua avaliação, mais complexas:

— O conteúdo foi muito extenso, e a prova cobrou muita coisa que não havia sido cobrada antes. Caíram duas questões de logaritmo, que não se cobra tanto. Em geometria espacial, houve uma cobrança de cilindro. Também caíram muitas questões de conversão de medidas também caiu muito, inclusive de pés, que não é uma medidas nacional — relata Freire.