Enem 2020: alunos não conseguem acessar notas duas horas depois de Inep anunciar liberação

Bruno Alfano
·4 minuto de leitura

RIO - Alunos que fizeram o Enem 2020 ainda não conseguiram acessar as notas do exame duas horas depois do Inep anunciar que elas já estavam disponíveis.

O site do Inep já apresenta problemas mesmo antes daas notas terem sido liberadas oficialmente. A promessa do MEC era que elas fossem liberadas após às 18h. O Inep informou às 18h56 que os resultados já estão disponíveis.

Os problemas no site do Inep no momento de divulgação da nota são recorrentes e acontecem quase todos os anos.

A prova com a maior média geral foi a redação: 588,74. Ao todo, 28 participantes obtiveram nota máxima (1000) e 87.567 zeraram, sendo redação em branco o motivo com maior percentual (1,12%), seguido de fuga ao tema (0,93%) e cópia do texto motivador (0,46%), em um total de 2.723.583 redações corrigidas.

Entre as provas objetivas, a que teve maior média geral foi linguagens, códigos e suas tecnologias, com 523,98. Matemática e suas tecnologias ficou com a média geral em 520, 73, seguida de ciências humanas e suas tecnologias com 511,64 e ciências da natureza e suas tecnologias 490,39.

As notas individuais do Enem podem ser usadas para acesso à educação superior, no Brasil e em instituições de Portugal, e também em programas governamentais de financiamento e apoio ao estudante. Confira aqui o calendário de inscrições.

O último Enem entrou para a história com o maior índice de abstenção da história. Mais de 55% dos inscritos, acima de 3 milhões de estudantes, não fizeram as provas em meio à pandemia e pedidos de novo adiamento — o exame já havia passado de novembro de 2020 para janeiro desse ano.

No total, foram 5.893.369 inscritos. Desses, 2.795.369 compareceram aos dois dias de prova ou a pelo menos um dia, e 3.029.391 compareceram a nenhum dia de aplicação.

Como usar a nota do Enem

A nota do Enem é o passaporte de entrada na universidade pública, privada e até estrangeira. Confira aqui os programas do governo federal de acesso às vagas e até uma ferramenta que ajuda os candidatos a localizarem bolsas de estudos disponíveis.

Sisu

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é o sistema do MEC que reúne, em 2021, 209.190 vagas distribuídas em 5.685 mil cursos de graduação de 110 instituições públicas de educação superior no Brasil. Para participar do Sisu em 2021, é preciso ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2020, e não ter tirado nota zero na prova de redação.

Cronograma do Sisu 2021:

Abertura das inscrições: 06 de abril

Fim das inscrições: 23h59 de 09 de abril

Resultado: 13 de abril

Prouni

O Programa Universidade Para Todos (Prouni), que também usa as notas do Enem para selecionar os alunos, oferece bolsas de estudo parciais (que cobrem 50% da mensalidade) e integrais em universidades privadas em cursos de graduação e de cursos sequenciais de formação específica. O MEC ainda não divulgou quando as inscrições para o programa serão abertas, o que deve acontecer até o meio do ano.

Para concorrer às bolsas integrais (100%), o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até 3 salários mínimos por pessoa e atender uma dessas condições:

ter cursado o ensino médio completo em escola da rede pública;ser pessoa com deficiência;ser professor da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica e integrar o quadro de pessoal permanente de instituição pública.

Fies

O Programa de financiamento Estudantil (Fies) é um programa de financiamento para estudantes cursarem o ensino superior em universidades privadas e, atualmente, possui duas categorias: a primeira, oferece vagas com juros zero para os estudantes com renda mensal familiar de até três salários mínimos. Já a segunda, chamada P-Fies, é direcionada para os estudantes com renda mensal familiar de até cinco salários mínimos. O MEC ainda não divulgou quando as inscrições para o programa serão abertas, o que deve acontecer até o meio do ano.

Universidades particulares

As notas do Enem também podem ser usadas nas universidades particulares que não participam do Prouni, mas utilizam a nota no lugar do vestibular próprio. Elas podem estabelecer regras para o processo seletivo, que é desvinculado de qualquer programa do governo.

Uma página criada pela startup de educação Amigo Edu facilita a vida para que os alunos encontrem bolsas de estudo. O Busca Nota (clique aqui) tem como objetivo centralizar numa plataforma digital todas as ofertas disponíveis com base na pontuação obtida no Enem.

Universidades estrangeiras

Mais de 40 instituições de ensino superior em Portugal também aceitam o exame como forma de ingresso, além de universidades nos EUA e Canadá. Estudantes que queiram aplicar para universidades americanas devem entrar na página https://www.commonapp.org/. O site reúne o formulário de aplicação de quase 900 universidades. Para saber sobre instituições em outros países, clique aqui.