Enem 2021: o que fazer na semana entre as provas

·3 min de leitura

A primeira prova do Enem 2021 já foi realizada ontem. Agora, os candidatos tem mais uma semana até a segunda prova, no próximo domingo. E uma questão vem à tona: é o momento de mergulhar no estudo de Matemática e Ciências da Natureza ou relaxar enquanto a segunda etapa do exame não chega?

Para especialistas ouvidos pelo GLOBO, a resposta é: um pouco de cada.

— Entre a primeira e segunda semana de provas, é fundamental que o estudante descanse, principalmente, hoje, segunda-feira. A prova é muito cansativa e virá outra pela frente, então é o momento de recuperar as energias. O ideal é que, por volta de quarta-feira, ele possa estudar, mas não necessariamente, relembrando o conteúdo, mas fazendo questões próprias do Enem para não perder o ritmo — afirma Luiz Rafael, coordenador pedagógico do colégio Mopi.

A ponderação também é feita por Antonia Burker, especialista na formação socioemocional de estudantes e líder do Programa Raízes, projeto socioemocional do Grupo Raiz Educação:

— Não tem fórmula certa, porque cada um teve uma vivência e uma rotina de estudos diferente, especialmente em pandemia. É claro que recomendo sempre ao menos relembrar os conteúdos mais importantes na semana entre provas, mas se o aluno sente que o estudo nesse período aumenta a tensão e a ansiedade, recomendo fortemente que ele procure se distrair na maior parte do tempo e revisar apenas quando e se entender que é o momento.

Quem achar que é o momento de estudar, deve refazer as questões das últimas edições do Enem, anotar os assuntos nos quais teve maior dificuldade e fazer uma breve revisão.

Quem decidir tirar a semana para descansar, deve buscar atividades que gerem bem-estar, mas sem bagunçar o sono e a alimentação. Assistir filmes e séries, ouvir música e fazer atividade física, por exemplo, são opções indicadas pelos especialistas. Essas distrações ajudam também a manejar a ansiedade pelo segundo dia de provas.

Passadas algumas horas do exame, é normal que os candidatos comparem suas respostas com gabaritos preliminares (confira aqui a correção do O GLOBO e Extra feito em parceria com professores da Plataforma AZ de Aprendizagem). Diante das grandes dificuldades enfrentadas por grande parte dos estudantes neste segundo ano de pandemia, muitos vão se deparar com um número de acertos abaixo do esperado. No entanto, isso não deve ser motivo para desanimar.

— Para quem não se saiu bem no primeiro dia, é preciso entender que nem tudo está perdido. O nosso entendimento de que o candidato foi mal nem sempre é válido, porque a contabilização das notas é feita pela Teoria de Resposta ao Item (TRI), que só disponibiliza a nota futuramente. Os candidatos não devem focar na quantidade de questões corretas ou erradas, mas entender que o resultado é posterior — aconselha Luiz Rafael.

As questões do próximo domingo serão de Matemática e Ciências da Natureza, duas áreas do conhecimento em que muitos candidatos sentem dificuldade. Os cálculos e os conhecimentos teóricos desses assuntos muitas vezes assustam, fazendo com que esse tempo entre as provas aumente demais a ansiedade dos alunos.

— Acho que, como uma forma emergencial de alívio da tensão, é importante lembrar que essa dificuldade é um problema geral. Se o aluno tirou suas dúvidas, fez os exercícios e se dedicou a aprender os conteúdos, pode acreditar que está preparado — tranquiliza Antonia Burker.

Para o próximo domingo, os candidatos devem se munir de conhecimento e autoconfiança para enfrentarem as últimas 90 questões do Enem 2021.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos