Enem: candidatos encaram último dia de provas com Matemática e Ciências da Natureza

Matheus Rocha
Abertura dos portoões da Uninove, em São Paulo, no primeiro dia do Enem

RIO — Hoje, a partir das 13h30m, estudantes de 1.727 municípios do país enfrentarão o último dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio ( Enem ). Eles terão cinco horas para fazer as avaliações de Matemática e Ciências da Natureza — que reúne as questões de Química, Física e Biologia —, consideradas por muitos estudantes como as “vilãs” do exame.

Embora 5,1 milhões de estudantes tenham se inscrito no exame deste ano, cerca de 1,2 milhão não compareceram no primeiro dia da prova, realizado no último domingo, o que representa uma taxa de 23,1% de abstenção.

De acordo com Virginia Chaves, professora de Biologia da Plataforma de Ensino Eleva, o aluno deve se preparar para responder questões de ecologia, tema recorrente no exame. Além disso, é preciso estar atento a temas de atualidades.

— Se o Enem mantiver o padrão dos anos anteriores, acho que podemos esperar questões ligadas aos efeitos da tragédia em Brumadinho, por exemplo, e outros assuntos que foram muito discutidos este ano — explica a professora.

A docente afirma também que as queimadas que castigaram a Floresta Amazônica podem cair na prova. Ela adverte, no entanto, que é pouco provável que as questões deem espaço para um debate sobre a atuação do governo:

— Vai ser algo totalmente ligado à Biologia. Se cair o tema queimadas por um viés político, vou ficar surpresa — diz ela, lembrando que questões ligadas a gênero e sexualidade dificilmente aparecerão no exame.

Já para Dhiego Alex Moreira, professor de Matemática também da Eleva, os candidatos devem se preparar para responder a questões de porcentagem, análises de gráficos e tabelas. Além disso, é provável que a banca cobre análise combinatória, geometria plana e espacial.

O professor explica que, para ter um bom rendimento nessa avaliação, não basta só focar nos números. É fundamental saber interpretar textos e extrair deles informações:

— A prova cobra também conteúdo, porém, mais do que isso, ela pede raciocínio lógico. É importante ter pensamento crítico para saber se a resposta é viável ou não— explica ele.

Além de ler os enunciados com atenção, o candidato deve organizar bem o tempo. O professor recomenda que os estudantes comecem a responder a prova pelas questões mais fáceis e deixem as mais complexas para um segundo momento. Assim, o candidato não perde tempo e evita responder perguntas de menor dificuldade de forma aleatória.

— Não faz sentido ele errar uma questão de porcentagem simples, mas acertar outra de probabilidade complexa. Não é coerente do ponto de vista pedagógico — diz ele, acrescentando que isso pode até mesmo prejudicar a nota do candidato, por causa do TRI, método de correção do Enem que leva em consideração a complexidade da questão.

Os portões dos locais de prova serão abertos ao meio-dia e fechados às 13h, pelo horário de Brasília. Como há quatro diferentes fusos no país, estudantes de estados como Amazonas, Acre, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rondônia devem ficar atentos aos horários em suas regiões. Para evitar atrasos, o ideal é que o candidato se programe para chegar ainda antes da abertura dos portões.

Além disso, vale ficar de olho nos relógios. No primeiro dia do exame, muitos dispositivos mudaram automaticamente para o horário de verão, que foi revogado pelo presidente Jair Bolsonaro em abril deste ano. Por isso, algumas chegaram cedo demais.

As provas só podem ser feitas com caneta esferográfica de tinta preta em tubo transparente. Os inscritos não podem esquecer também de levar uma identificação original e com foto. Segundo o Inep, instituto responsável pela aplicação do exame, fotocópias ou documentos em formato digital não serão aceitos.