Enem: o que fazer na semana entre as provas? Estudar ou descansar?

O Enem é uma maratona. Por um lado, não adianta começar bem e terminar mal. Por outro, quem não teve um ótimo resultado no primeiro dia pode se recuperar no segundo. Por isso, depois das comemorações ou lamentações pelo resultado deste domingo, é preciso olhar para a próxima prova, que já está logo ali. Mas o que os candidatos devem fazer nesta semana semana entre as avaliações?

ACESSE: Gabarito do Enem 2022, veja a correção extraoficial

DE GRAÇA: Cartilha traz os assuntos mais cobrados no exame; baixe aqui!

O GLOBO ouviu três professores especialistas em Enem e todos recomendam equilíbrio. Divirta-se, descanse, mas mantenha uma rotina de estudo. Marlon Cordeiro, professor de Química do AZ Floripa, escola parceira da Plataforma AZ; Ademar Celedônio, diretor de Ensino e Inovações Educacionais do SAS Plataforma; e Milena dos Passos Lima, coordenadora editorial do Sistema Positivo de Ensino, explicam com detalhes a melhor estratégia para chegar inteiro à segunda prova do Enem, no próximo domingo.

Quais são as principais recomendações para passar a semana entre as provas do Enem?

Marlon Cordeiro: Os estudantes vêm se preparando há algum tempo para a realização das provas. Por isso, após o primeiro dia é importante reservar um período para descansar, praticar atividade física e fazer uma leitura de lazer. Isso é essencial para manter a calma e o bem-estar. E revisar conteúdos de uma forma mais leve e descontraída é recomendado.

Ademar Celedônio: Nesta semana, cuidar da alimentação e da saúde mental é de extrema importância. Não exagerar em horas de estudo e caprichar no sono, dormindo, no mínimo, 8 horas por noite, para que o estudante possa fazer uma prova descansado. Mas é importante manter o foco, fazendo revisões, resolvendo alguns exercícios antes da prova e estudando conteúdos mais leves.

Milena dos Passos: O estudante precisa estar focado na sua vida acadêmica e naquilo que ele já fez para se preparar para este momento. Isso significa que precisa confiar na sua jornada, confiar no que desenvolveu ao longo do ano e estar perto das pessoas que o amam e que estão com ele nessa trajetória. É importante realizar atividades que sejam prazerosas, mas com moderação. Esta é uma semana para prestar atenção ao equilíbrio entre estudo e lazer.

Vale a pena estudar? De que forma?

Marlon Cordeiro: Determinar uma rotina de estudos é essencial, aproveitar os últimos dias para conferir aqueles conceitos que o estudante domina e tirar dúvidas pontuais sobre assuntos considerados mais difíceis é uma estratégia importante. O aluno deve manter um ritmo constante, tomando cuidado para não exagerar com longos períodos de estudo que podem levar a um esgotamento.

Ademar Celedônio: Vale a pena revisar os conteúdos, especialmente os que o aluno já tem mais facilidade, para garantir um bom desempenho nessas disciplinas. Olhar simulados antigos, as últimas três provas do Enem e resolver exercícios são formas mais leves de reforçar o conhecimento já adquirido. Estudar temas em que se tenha muita dificuldade ou que não se conheça muito pode acabar confundindo e cansando intelectualmente, impactando o raciocínio em algumas questões.

Milena dos Passos: Vale a pena estudar porque o cérebro costuma consolidar informações que ele julga importantes, mas sem se dedicar a grandes volumes. A orientação é estudar por resumos e repassar os temas principais, para que você se sinta seguro na hora da prova. Não é hora de ter uma rotina exaustiva. Nada de ficar estudando de madrugada ou privando-se do sono, porque é muito importante estar bem descansado para as duas provas.

REDAÇÃO DO ENEM 2022: Tema foi 'Desafios para a valorização de comunidades e povos tradicionais no Brasil'

O desempenho da primeira prova pode ajudar ou atrapalhar o da segunda? Como uma pessoa que acha que foi mal pode deixar isso de lado?

Marlon Cordeiro: O desempenho da primeira prova pode influenciar o resultado do segundo dia. Para os alunos que tiveram um bom desempenho na primeira etapa temos uma dose extra de motivação, por outro lado, quando o resultado foi abaixo do esperado, o candidato precisa compreender que a segunda prova é uma nova etapa, com questões de outras áreas do conhecimento e que permitem obter um resultado melhor do que o anterior.

Ademar Celedônio: O aluno precisa se desconectar dessa necessidade de corrigir a prova logo de cara e fazer a prova no segundo dia, porque, muitas vezes, por causa da forma da correção da prova, ele acerta 25% numa prova, mas pode ter mais pontos que um aluno que acertou 30%, se houver coerência pedagógica. Se for um aluno muito ansioso, recomendo, ainda, que não olhe o gabarito e deixe para conferir apenas na semana seguinte após a primeira e segunda aplicação.

Milena dos Passos: Não adianta ficar ansioso com a nota do primeiro dia porque o cálculo da nota é muito mais complexo que simplesmente a conferência do gabarito. Portanto, tenha calma e não se preocupe com isso porque temos o segundo dia de provas, que é mais uma etapa importante. Pode conferir o gabarito? Pode, mas procure não se preocupar com relação à nota. Lembre-se que, se a prova for difícil, será difícil para todos.

O que não fazer de jeito nenhum nessa semana?

Marlon Cordeiro: Ao longo desta semana ,os alunos não podem de forma alguma largar tudo e pensar que simplesmente já fizeram tudo que podiam, ou então desistir por causa de possíveis resultados do primeiro domingo. É essencial lembrar que o Enem utiliza o TRI e com isso a comparação do número de acertos com colegas não é a melhor estratégia para avaliar o seu desempenho.

Ademar Celedônio: A uma semana da prova, o que não deve ser feito, de jeito nenhum, é tentar aprender algum conteúdo novo. Especialmente porque, se o aluno não aprendeu até agora, o conteúdo possivelmente é de maior complexidade e leva tempo para ser compreendido de fato. É mais importante olhar as referências daquilo que mais cai.

Milena dos Passos: O que não se pode fazer de jeito nenhum é cometer excessos. Não exagere no lazer, nem na atividade física, nem no hábito de ficar dormindo muito tarde. A palavra de ordem é equilíbrio. Comer bem, dormir bem, estar perto das pessoas que você ama, fazer atividades que te tragam prazer na dose correta.

Se o aluno estiver se sentido muito preparado para a prova, desligar completamente dos estudos é uma boa ideia?

Marlon Cordeiro: Não considero que deixar os estudos completamente de lado seja uma postura adequada. Afinal, por melhor que seja o preparo do aluno, sempre existe um conceito a ser revisado.

Ademar Celedônio: Mesmo para quem está muito bem-preparado, não recomendo que o aluno desligue completamente. Equilíbrio é essencial entre a primeira e a segunda semana e manter o foco, ainda que incluindo atividades de descontração e sem dedicar tantas horas ao estudo, é fundamental para não esquecer tudo o que foi estudado nas últimas semanas e garantir maior concentração no dia da prova.

Milena dos Passos: Ainda que o aluno se sinta preparado, é importante que ele retome alguns pontos dos conteúdos. Revisar aquelas dicas de ouro, os assuntos mais cobrados, repassar os resumos dos assuntos mais cobrados. Não é bom se desligar completamente porque o cérebro guarda melhor todos os assuntos que ele julga importantes. Então, quando você olha novamente um resumo, assiste a algumas dicas e relembra quais são os temas mais cobrados, você reforça que aqueles temas são fundamentais, o que faz com que você se lembre deles na hora da prova. Revisar é importante, mantendo o equilíbrio entre o lazer e o descanso.