Energia: Comissão Europeia quer angariar mais 140 mil milhões de euros

A Comissão Europeia quer angariar mais 140 mil milhões de euros para ajudar as famílias e as empresas a lidarem com os preços elevados da energia.

A maior fatia virá de uma medida que passa pela tributação especial temporária dos lucros extraordinários das empresas de energia.

"Os lucros vão muito além de tudo o que sonharam quando fizeram os seus planos de investimento. Não pretedemos cortar nos lucros que as empresas tinham previsto obter. Estamos a criar uma taxa para redistribuir os lucros aos cidadãos que não têm sequer dinheiro para pagar as contas de energia", disse Frans Timmermans, vice-presidente da Comissão Europeia, hoje, em conferência de imprensa, no Parlamento Europeu, em Estrasburgo.

Essa fatia será arrecadada junto das empresas que usam energia renovável ou nuclear, mas que vendem mais caro porque o preço da eletricidade está indexado ao alto preço do gás. Assim, a proposta visa:

  • 180 euros por megawat/hora como teto para o preço da eletricidade, cerca de metade do atual

  • Uma contribuição solidária de 33% dos lucros

E o preço do gás russo?

Alguns eurodeputados pensam que se deve ir mais longe no que respeita à Rússia, nomeadamente o alemão dos verdes, Michael Bloss: "Isto não chega para resolver esta crise. É preciso mais ação e há coisas óbvias, como por exemplo, a redução do preço que pagamos pelo gás da Rússia, que não foi proposta. Isso é um problema".

Outra proposta central é reduzir o consumo em 10%. Para tal, poderia ser feito um corte obrigatório de 5% durante os chamados picos de consumo .

A médio prazo, a Comissão Europeia pretende reformar todo mercado energético, dissociando o preço do gás do da electricidade e criando um índice mais justo face às necessidades de consumo.