Energia restaurada em 80% do território ucraniano

A aldeia de Kamianka, na região de Kharkiv, no leste da Ucrânia, está oficialmente apagada do mapa. O cenário encontrado pelas tropas ucranianas, depois da retirada dos ocupantes russos, é de absoluta desolação: Todas as casas aqui ficaram destruídas. Alguns antigos proprietários, entretanto deslocados para outras zonas, regressam para buscar os poucos pertences que ficaram. O balanço de mortes ainda está por fazer.

Apesar dos mais recentes ataques, a Ucrânia vai recuperando a energia: 80% do território tem novamente eletricidade e água. O presidente Volodymyr Zelenskyy está confiante que o país vai ultrapassar o desafio do inverno: "Juntos, ajudando-nos uns aos outros, vamos conseguir ultrapassar este desafio: Este inverno, a Rússia tenta usar o frio contra a população", disse o chefe de Estado ucraniano.

A Rússia tenta usar o frio contra a população.

Visita a valas comuns

Bucha e Borodianka, duas das localidades mais martirizadas pela guerra, receberam a visita do primeiro-ministro belga Alexander De Croo, que viu de perto o local onde foi descoberta a maior vala comum até agora encontrada neste conflito, com mais de 450 corpos.

"Depois de ver isto, não consigo sequer imaginar como se vai negociar com a Rússia. Depois disto, o único objetivo possível é ajudar a libertar a Ucrânia", disse o chefe do governo belga.

Em Borodianka, cidade com 16 mil habitantes, mais de mil edifícios ficaram destruídos. No entanto, começa a reviver: Cerca de quatro quintos dos habitantes obrigados a partir já regressaram à cidade.