Eneva assina acordo para compra da termelétrica da Celse, uma das maiores da América Latina, por R$ 6,1 bi

A operadora de energia Eneva fechou um acordo nesta terça-feira para comprar a usina termelétrica Centrais Elétricas de Sergipe (Celsepar) junto às duas controladoras da empresa: New Fortress Energy e Ebrasil. A proposta significa a aquisição, pela Eneva, da usina termelétrica de Porto de Sergipe 1 por R$ 6,1 bilhões (cerca de US$ 1,27 bilhão no câmbio atual).

A usina em questão foi inaugurada oficialmente em 2020 e é uma das maiores termelétricas da América Latina em funcionamento. Localizada em Barra dos Coqueiros, no litoral do Sergipe, tem potência instalada de 1,55 GW. A unidade tem capacidade equivalente a 15% da demanda de energia da região e toda a sua produção está contratada no mercado regulado de energia até dezembro de 2044.

A usina utiliza gás natural trazido para Sergipe na forma de gás natural liquefeito (GNL) e regaseificado na unidade.

Em nota, o presidente da Eneva diz que a aquisição da Celse “é um movimento estratégico para a empresa alavancar competências e diversificar ainda mais o modelo de negócio" e está em linha com o plano da companhia até 2030.

"É um passo fundamental para a Eneva ter sua primeira infraestrutura de hub de gás – além da exploração e de unidades geradoras, contar com gasoduto e porto que permitam a comercialização e o escoamento do produto", disse Ziner em nota.

Com a aquisição, que ainda precisa do aval de órgãos reguladores como o Cade (órgão antitruste brasileiro), a Eneva terá em suas operações cerca de 6 GW de capacidade instalada.

Como parte do acordo, a Eneva comprará todas as ações da Centrais Elétricas de Sergipe Participações S.A., holding que detém os direitos de expansão da usina termelétrica em questão, e da Centrais Elétricas Barra dos Coqueiros S.A. (Cebarra), que tem um 3.2 GW de projetos de expansão.

De acordo com os termos da transação, a Eneva ainda assumirá a dívida atual da Celse, de R$ 4,1 bilhões. Ao todo, no somatório do montante a ser desembolsado pela companhia e da dívida, o valor da transação chega a R$ 10,2 bilhões. A negociação da transação foi revelada pelo portal Brazil Journal no último domingo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos