Enfermeira morre de coronavírus uma semana antes de completar 40 anos de trabalho em hospital

Durante a maior parte de seus 69 anos, Celia Yap-Banago dedicou a vida à enfermagem e a cuidar de pacientes. Mas uma semana antes de completar 40 anos de trabalho no Centro Médido de Pesquisas, na cidade de Kansas City, no Missouri, nos Estados Unidos, a idosa foi infectada pelo coronavírus e faleceu no dia 21 de abril, sete dias antes de festejar um dos maiores orgulhos da sua vida.

Quando a pandemia da Covid-19 chegou ao hospital, Yap-Banago disse à sua família para não se preocupar porque ela estava trabalhando na unidade de telemetria cardíaca, que fica em um andar diferente daquele em que pacientes com coronavírus estavam sendo tratados. Mas em 23 de março, uma de suas pacientes começou a apresentar sintomas do Covid-19. Então, ela tomou precauções extras para evitar a propagação potencial do vírus, isolando-se do marido e dormindo no sofá da sala.

"Era uma segunda-feira quando recebi uma mensagem da minha mãe dizendo: 'Ei, eu acabei de ter um paciente que apresentava sintomas do Covid-19. Tenha cuidado. Ela piorou uma semana depois, dia 29. A febre dela chegou a mais de 38,5ºC e ela não estava comendo. Então foi quando a levamos de volta para o quarto e o pai saiu para a sala. Depois que ela entrou naquele domingo no quarto, ela não saiu mais", conta o filho, Jhulan Banago, de 28 anos.

Assim como muitos outros profissionais de saúde dos EUA expressaram, a enfermeira se preocupava sobre a falta de EPIs em seu hospital.