"Enfermeiro da Noite": a história real do serial killer que matava em hospitais

Eddie Redmayne e por Jessica Chastain são os protagonistas do filme
Eddie Redmayne e por Jessica Chastain são os protagonistas do filme "O Enfermeiro da Noite". (Foto: Divulgação/Netflix)

Depois do sucesso de "Dahmer: Um Canibal Americano", a Netflix lançou um filme inspirado na história de outro serial killer norte-americano: Charlie Cullen. "O Enfermeiro da Noite" estreou na última quarta-feira (26) e já está no Top 10 de produções mais assistidas da plataforma.

Baseada em uma história real, o longa mostra uma enfermeira que começa a suspeitar que um colega de trabalho seja o responsável por mortes misteriosas de vários pacientes no hospital. Ela acaba colocando a própria vida em perigo para descobrir toda a verdade.

A trama é protagonizada por Jessica Chastain, vencedora do Oscar de Melhor Atriz por “Os Olhos de Tammy Faye”, e Eddie Redmayne, que levou a estatueta de Melhor Ator por “A Teoria de Tudo”. O roteiro é inspirado no livro de Charles Graeber, que aborda os crimes de Charles Cullen cometidos em nove hospitais entre 1988 e 2003, e a missão de Amy Loughran de denunciá-lo.

Charles Cullen começou a carreira como enfermeiro no Centro Médico Saint Barnabas, em Livingston, no ano de 1986. No ano seguinte ele se casou com Adrianne Baum e, em 1993, ela entrou na justiça pedindo uma ordem de restrição contra ele para proteger as duas filhas.

Os assassinatos começaram em 1988, quando ele passou a injetar bolsas intravenosas com drogas como digoxina e insulina nos pacientes. O enfermeiro só começou a trabalhar no Somerset Medical Center em Somerville, onde trabalhou com Amy Loughren, em 2002.

Como os crimes de Charlie Cullen foram descobertos?

Ele seguiu cometendo os crimes trabalhando no novo hospital, mas, para isso, precisava acessar os prontuários médicos dos pacientes que não estava cuidando, levantando suspeitas. Charlie deixou mais pistas enquanto encomendava insulina do dispensário do hospital, mas cancelava logo em seguida.

No filme, o serial killer chega a explicar que se o pedido é cancelado rapidamente, o dispensário ainda libera o medicamento, mas não constaria que o medicamento havia sido administrado ao paciente.

O hospital descobriu que um dos enfermeiros estava por trás dos assassinatos em agosto de 2003, mas demorou meses para entrar em contato com a polícia. Cullen chegou a ser demitido por mentir no currículo, mas só foi preso após Loughren interferir na investigação e convencê-lo a confessar os crimes.

O que aconteceu com Charlie Cullen?

O serial killer foi preso no dia 12 de dezembro de 2003, acusado de diversos assassinatos e tentativas de homicídio. Ao todo, Cullen recebeu 11 sentenças de prisão perpétua em março de 2006 pelo assassinato de 29 pacientes.

Após uma segunda audiência, o juiz concedeu mais seis penas de prisão perpétua, totalizando 17. Atualmente, ele está preso na Prisão Estadual de Nova Jersey.