Enfermeiro filmado assediando colega que dormia é condenado a 17 anos em SP

Imagem conceito de assédio sexual. (Foto: Getty Creative)
Imagem conceito de assédio sexual. (Foto: Getty Creative)

Um técnico em enfermagem de 46 anos foi condenado a 17 de prisão por importunação sexual e estupro de vulnerável. A decisão ainda é passível de recurso.

Ao menos oito colegas e uma adolescente acusaram o homem. Segundo as vítimas, ele passava as mãos nas partes íntimas delas enquanto elas dormiam na sala de descanso do Hospital de Peruíbe, no litoral de São Paulo.

O homem, cujo nome não foi divulgado, está detido desde 2021, e foi indiciado pelos crimes contra as profissionais e a menor de idade. De acordo com a promotoria de justiça, tanto a acusação quanto a defesa do réu recorreram no processo antes da audiência, que aconteceu no Fórum de Peruíbe (SP).

Uma das vítimas, que prefere não ser identificada, disse em entrevista ao portal G1 que o infrator assediou mais mulheres do que consta oficialmente na denúncia porque outras não quiseram prestar queixa. Ela se disse aliviada com a decisão do juiz. "Tivemos justiça. As pessoas, principalmente as mulheres, têm que entender que não adianta ver situações e se calarem. Têm que abrir a boca mesmo e tentar fazer justiça”, declarou ao G1.

A denúncia foi comprovada através de um vídeo em que o profissional aparece tentando passar a mão em uma colega de trabalho em um hospital de Peruíbe enquanto ela dormia. Nas imagens, ele aparece deitado em um colchão no chão e outra funcionária dormindo em uma cama próxima. É possível notar quando ele põe a mão na cama dela, por baixo do cobertor. De acordo com a polícia, o suspeito aproveitava quando as mulheres estavam dormindo na sala para passar a mão nas partes íntimas delas, como seios, nádegas e genitais.