Engenheira oferece curso de capacitação para pessoas em situação de rua

Regiane Jesus
·2 minuto de leitura

RIO — Olhar os “invisíveis” é a missão de Ana Paula Rios, que não vira o rosto quando vê uma pessoa em situação de rua. Moradora do Engenho Novo, a engenheira de produção enxerga as necessidades dos que não têm um teto para se abrigar e faz a sua parte para transformar a vida de quem se encontra em vulnerabilidade social.

Nos tempos de faculdade — ela estudou na Unisuam —, fez um trabalho voluntário, distribuindo quentinhas pelas ruas do Centro e da Zona Norte. Logo decidiu que deveria contribuir para o bem-estar daquela população. Em 2017, criou o Banho da Alegria, um chuveiro itinerante para dar acesso a algo essencial: a higienização. No início da pandemia de Covid-19, produziu o projeto Pia do Bem — com apoio financeiro do jogador de futebol Marcelo, do Real Madrid —, para que a primordial lavagem de mãos chegasse ao maior número de pessoas possível. Estas ações não são únicas. Há dois anos, ela tirou do papel o desejo de capacitar para emprego homens e mulheres que, muitas vezes, só precisam de ajuda efetiva para mudar as suas histórias.

O negócio de impacto social Da Rua Para Você nasceu para ensinar moradores de rua a estampar camisetas e bonés, entre outros produtos. A oficina, que é a menina dos olhos de Ana Paula, funciona em um espaço no Instituto Lar, no Centro, onde há duas máquinas de estamparia.

— Trabalho em parceria com alguns projetos, que nos indicam pessoas previamente atendidas por essas instituições para fazerem o curso. Para que possam aprender uma profissão, oferecemos, no período das oficinas, lugar para dormirem e alimentação. Além disso, há um acompanhamento da dependência química, que a maioria tem, para permitir a evolução no processo de reinserção social. É preciso que se entenda que é um processo, porque ninguém sai da rua sem carregar alguma herança negativa do tempo em que viveu em situação de vulnerabilidade — diz a engenheira, que disponibiliza o site lojadarua.com.br para os interessados em colaborar com este negócio de impacto social.

Para 2021, a expectativa é apoiar ainda mais pessoas.

— A esperança é que quem foi solidário este ano siga olhando com carinho para a população que vive na rua —frisa Ana Paula.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)