Engenheiro é condenado por atropelar e matar advogada com Porsche

ALFREDO HENRIQUE

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O engenheiro Marcelo Alves de Lima, 44 anos, foi condenado na noite desta terça-feira (26) a seis anos de prisão, no regime semiaberto, pela morte da advogada Carolina Menezes Cintra Santos, na ocasião com 28 anos. Ela foi atropelada pelo homem, que dirigia um Porsche em alta velocidade, na região do Itaim Bibi (zona oeste da capital paulista) em 2011.

O engenheiro Marcelo Alves de Lima, de 44 anos, foi condenado a seis anos de prisão, em regime semiaberto, pela morte da advogada Carolina Menezes Cintra A defesa de Lima já recorreu da decisão. Segundo o TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), o engenheiro foi condenado em regime semiaberto. Ele permanece em liberdade. 

Na época, o engenheiro, que chegou a ser preso, pagou fiança de R$ 300 mil para responder em liberdade. O Ministério Público pediu para que o valor fosse dobrado.

A juíza Giovanna Christina Collares, do 5º Tribunal do Júri da Capital, destacou em sua sentença que a alta velocidade do carro, além do fato de Lima estar sob efeito de álcool, foram usados pelo conselho de sentença para "o reconhecimento do crime em sua modalidade dolosa [com intenção]." 

Na ocasião do crime, o Instituto de Criminalística emitiu um laudo indicando que o engenheiro dirigia o Porsche a 116 km/h quando atravessou o cruzamento das ruas Tabapuã e Bandeira Paulista, atingindo o Hyundai Tucson da advogada, que morreu no local.