Confrontos continuam em Mariupol, mas russos já querem transformar cidade destruída em estância balneária

A cidade portuária de Mariupol, considerada estratégica por Moscou, foi praticamente destruída pela ofensiva militar que já dura quase três meses. Algumas das novas autoridades locais, ligadas às forças russas, planejam agora transformar a região em uma estância balneária. Um projeto que não agrada os moradores, conscientes do impacto econômico do fim da atividade industrial que alimenta a região.

Com informações de Anissa el Jabri, enviada especial da RFI a Mariupol

Cerca de mil combatentes ucranianos continuam entrincheirados no labirinto de túneis datando da era soviética sob uma das principais usinas siderúrgicas de Mariupol. "Há quase 600 feridos em Azovtal e os russos seguem bombardeando o hospital militar", afirmou Sviatoslav Palamar, um dos comandantes no local, que pediu que os "EUA ajudem a evacuar os feridos".

As colunas de fumaça preta que emanam da usina de Azovtal cobrem parcialmente o céu da cidade, que teve 90% de seu território destruído. Não há mais trabalho em Mariupol e, para os moradores, o cotidiano se resume em organizar as longas filas para encher galões de água nas duas cisternas de plástico instaladas diante do hospital central.

Mesmo assim, as autoridades pró-russas já têm planos para o futuro, principalmente do ponto de vista econômico. Alguns já falam do "renascimento" de Mariupol, que deixaria de ser uma cidade industrial para se tornar uma estância balneária.

Usinas são responsáveis por 40% dos empregos diretos


Leia mais

Leia também:
“Espero que elas levarão a paz”: floricultor ucraniano envia milhares de rosas para cidade palco de massacre
Com drones artesanais e baratos, geeks se transformam em caçadores de tanques russos na Ucrânia
Ucranianos voltam para Kiev, mas EUA alertam que Putin quer ir até a Moldávia

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos