Enquanto pagamentos via Pix aumentam, parcelamentos em até 12 vezes sem juros tem sido menos frequentes nas compras online, mostra pesquisa

Ainda que o Pix esteja cada vez mais no dia a dia dos consumidores brasileiros – só em maio, foram 1,8 bilhões de transações, mais do que as 1,6 milhões em abril –, nas compras online o crédito continua disparado como a opção de pagamento mais usada. Mas o meio tem passado por mudanças: parcelamentos de até 12 vezes sem juros têm dado lugar às opções com desconto à vista ou a ofertas de pagamentos com prazos mais longos, mas com taxas.

Viu?

A análise foi feita no Estudo de Pagamentos da GMatos, consultoria especializada em comércio eletrônico e meios de pagamento, que entre os dias 3 e 4 de maio colheu informações de 59 lojas online de diferentes segmentos do mercado brasileiro, como grandes varejistas, companhias aéreas e de turismo e aplicativos de transporte e entregas. Em todos as empresas, segundo a consultoria, foi simulada uma compra no site da loja, com o passo a passo do pagamento e as condições oferecidas.

De acordo com a pesquisa, o cartão de crédito manteve o percentual de 98,3% de aceitação entre os lojistas do e-commerce ao longo da série histórica (desde o início de 2021), e 65% das compras com crédito são parceladas pelo consumidor, o que revela a percepção de comodidade da oferta. No entanto, com custos elevados para o lojista, somente 17,2% das lojas oferecem o parcelado em 12 vezes sem juros, fatia bem distante dos cerca de 85% apurados há cinco anos, como estima a consultoria.

"Este tipo de oferta foi um grande alavancador das vendas online desde a origem do comércio eletrônico no Brasil, com o parcelamento em até 12 parcelas 'sem juros', o que dificilmente era encontrado no mundo físico", lembra o estudo.

O pesquisa aponta também que ainda é possível encontrar lojas oferecendo parcelamentos em mais tempo, mas a opção tem sido menos comum entre as grandes lojas, que tem oferecido opções mais curtas ou parcelas com juros.

Para driblar as taxas, lojistas têm oferecido descontos de 5% a 9% para os clientes que optam por pagar no cartão de crédito, em uma única parcela. Segundo o estudo, lojas com parcelamento sem juros de 2 até 6 vezes representam 34,5% da base do levantamento, já as que aceitam cartão de crédito em uma parcela, sem a opção do parcelamento sem juros, somam 13,8%, enquanto 19% limitam o parcelamento a 10 vezes sem juros.

Ainda segundo a consultoria, um dos fatores que têm ajudado nessa mudança é uma lei de 2017 que passou a permitir preços diferentes para cada forma de pagamento, tornando possível, por exemplo, que comerciantes oferecessem descontos para pagamentos à vista:

– Antes, o valor parcelado pelos crediários era o mesmo que era cobrado no pagamento à vista, mas este em geral embutia os juros para compensar nesta forma de quitação os custos do lojista com os parcelamentos. Com a lei, a incidência de juros passou a ser mais transparente para o consumidor – explica Gastão Mattos, CEO e cofundador da empresa.

Já em relação ao Pix, a pesquisa mostrou que a modalidade de pagamento continua crescendo, alcançando 74,6% dos e-commerce e chegando muito próximo dos boletos (76,3%). Em março, o pagamento instantâneo era uma opção em 69,5% das lojas online. Além disso, o estudo também observou que lojistas que aceitam Pix têm adotado estratégias de incentivo ao meio de pagamento. Em maio, eram 20% dos ouvidos oferecendo descontos de 3% a 18%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos