Enrique Tarrio, líder dos Proud Boys, é sentenciado a 5 meses de prisão

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Enrique Tarrio, líder dos direitistas Proud Boys, foi condenado a cinco meses de prisão em Washington por queimar um cartaz do Black Lives Matter.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O cubano-americano Enrique Tarrio, líder do grupo de extrema direita Proud Boys, foi condenado nesta segunda-feira (23) nos Estados Unidos a cinco meses de prisão por atear fogo a um cartaz do movimento antirracista Black Lives Matter, no âmbito de protestos em apoio ao ex-presidente Donald Trump.

Uma figura-chave no movimento de extrema direita que desempenhou um papel de liderança no ataque de 6 de janeiro ao Capitólio por partidários de Trump, "Henry" Tarrio foi preso dois dias antes do evento por derrubar um cartaz de uma igreja de Washington em 12 de dezembro e queimá-lo, de acordo com o Departamento de Justiça.

Nativo de Miami, foi acusado de destruição de propriedade, em parte devido a uma fotografia que ele postou nas redes sociais posando com o cartaz e um isqueiro nas mãos.

Tarrio também foi acusado de porte de dois pentes de armas de fogo de alta capacidade, ilegais na capital dos Estados Unidos.

O homem de 37 anos organizou manifestações pró-Trump contra os protestos de justiça racial Black Lives Matter que abalaram o país durante grande parte de 2020, após assassinatos de afro-americanos por policiais brancos.

No final do ano passado, Tarrio angariou ativamente apoio para a tomada do Capitólio em 6 de janeiro, na qual centenas de apoiadores de Trump, incluindo membros de milícias violentas de direita como os Proud Boys, invadiram os corredores da sede do Congresso americano a fim de evitar a certificação de Joe Biden como o vencedor da eleição presidencial.

"Eles nos olham quase como soldados da direita", declarou Tarrio em um podcast antes de 6 de janeiro. "Isso é real. Estamos em uma guerra."

Mas, quando Tarrio chegou a Washington dois dias antes, foi preso pelo evento de 12 de dezembro e condenado a ficar fora da cidade até sua audiência no tribunal.

Em julho, ele se declarou culpado das acusações em um acordo judicial.

Tarrio foi sentenciado a 155 dias de prisão e a pagar uma multa de 1,000 dólares e uma restituição de 347 dólares à igreja.

Identificados com as cores preto e amarelo, os Proud Boys ganharam notoriedade quando o presidente Trump lhes disse para "recuar e esperar" durante um debate em setembro de 2020 com Biden, então candidato democrata à presidência.

pmh-ad/ll/am

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos