Entenda como o médico preso por estupro foi desmascarado

Médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra estupra mulher grávida que estava sedada durante uma cesárea (Foto: Reprodução)
Médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra estupra mulher grávida que estava sedada durante uma cesárea (Foto: Reprodução)

O médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra foi preso em flagrante por estuprar uma mulher grávida que estava sedada durante uma cesárea. O crime ocorreu no Hospital da Mulher Heloneida Studart, no Rio de Janeiro, na madrugada desta segunda-feira (11).

De acordo com Bárbara Lomba, delegada responsável pelo caso, o comportamento de Giovanni Quintella já havia chamado atenção de colegas de trabalho. Segundo relatos, ele aplicava muito sedativo nas gestantes e se preocupava em dificultar a visão da parte superior do corpo da vítima —local onde ele se posicionava.

Além disso, durante entrevista à GloboNews, a delegada disse que uma colega da equipe médica afirmou que, em uma outra cirurgia, Giovanni Quintella estava com o pênis ereto.

Com as suspeitas, enfermeiras e técnicas decidiram filmar a atuação de Giovanni Quintella durante uma cesárea, e o vídeo gravado fez com que o anestesista fosse preso em flagrante.

Para capturar a cena, um celular foi colocado dentro de um armário do centro cirúrgico do hospital, informou o portal g1. Por ter uma porta de vidro escura, não é possível ver o interior do armário pelo lado de fora. O aparelho ficou apoiado em pé, em direção da mesa de cirurgia onde seria realizado o parto.

As imagens capturaram todos os profissionais que estavam ali, inclusive Giovanni Quintella —o único da equipe que fica ao lado do rosto da gestante e com um pano que impede que a paciente veja seu próprio corpo. Esse mesmo tecido também impede que a equipe médica veja a cabeça da paciente que está na cama, mostrou o portal g1.

Nas imagens, a paciente aparece deitada sedada e inconsciente em uma maca, durante o parto. Do lado esquerdo, a equipe cirúrgica inicia o procedimento. Do lado direito, o anestesista aparece abrindo as calças, retirando o pênis e o colocando na boca da vítima.

O estupro dura cerca de dez minutos. Depois, o agressor usa um lenço de papel para limpar os vestígios do crime.

Antes de ser flagrado, Giovanni Quintella havia participado de ao menos duas cirurgias no domingo (10), mas em salas que não foi possível filmá-lo.

Outras vítimas

Outras três mulheres procuraram autoridades para denunciar que foram vítimas de Giovanni Quintella Bezerra. A informação foi dada pela delegada responsável pelo caso, Bárbara Lomba, em entrevista à GloboNews.

Além delas, autoridades também investigam se as outras duas pacientes operadas no dia 10 foram vítimas.

'Criminoso em série'

Tudo indica que Giovanni Quintella Bezerra seja um criminoso em série, afirmou Bárbara Lomba, também em entrevista à GloboNews.

"Tudo indica que ele seja um criminoso em série porque há muitos indícios de repetição desse tipo de crime. Até pela atuação dele, que não mostra muita preocupação na hora de executar o crime. Isso, então, indica que ele vem praticando há um tempo", disse ela.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos