Entenda como paciente tratado nos EUA se curou de HIV

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O quarto caso de uma pessoa curada da infecção por HIV foi divulgado nesta quarta-feira (27), durante anúncios para a imprensa que antecedem a Conferência Internacional de AIDS, no Canadá.

A remissão prolongada da infecção ocorre em um homem de 66 anos que não quis revelar sua identidade. Ele recebeu o apelido de "paciente de City of Hope" (em tradução livre, cidade da esperança), citando a unidade de saúde City of Hope, em Duarte, na Califórnia, onde o homem foi tratado.

O paciente já está há 17 meses sem sinais do vírus no corpo, mesmo sem o tratamento com antirretrovirais.

O levou à cura A remissão da doença ocorreu após um transplante de medula óssea, local de produção das células sanguíneas. O processo foi necessário para tratar uma leucemia, câncer que atinge as células sanguíneas.

Os médicos que tratavam o paciente começaram a buscar um doador de medula que fosse naturalmente imune ao vírus HIV. Para isso, iniciou-se uma busca genética por um doador com mutação no gene CCR5.

Esse gene produz uma proteína que, em linhas gerais, permite a entrada do HIV nas células humanas de defesa CD4+. Pessoas que receberam uma determinada mutação do CCR5 (um trecho deletado de letras genéticas) tanto do pai quanto da mãe --ou seja, são homozigotas para essa mutação-- são resistentes à infecção por algumas das variantes do HIV.

A medula recebida, há cerca de três anos e meio, de um doador imune possibilitou que o paciente de City of Hope conseguisse bloquear a via de entrada do HIV em suas células de defesa e, dessa forma, levou à remissão da infecção.

Não foi a primeira vez que um procedimento do tipo foi utilizado. Trata-se do mesmo processo que, em 2007, levou ao primeiro caso de cura de infecção por HIV --o paciente de Berlim, Timothy Ray Brown. Os outros três casos de cura já relatados também são relacionados ao gene CCR5.

Agora, porém, trata-se do paciente com HIV mais longevo (31 anos de infecção) a alcançar a remissão após um transplante de medula.

O centro de saúde City of Hope também aponta que o paciente ali tratado é a pessoa mais velha a ser curada, devido ao transplante, tanto da infecção por HIV quanto do câncer. Na época do procedimento, o homem tinha 63 anos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos