Entenda como será a volta às aulas presenciais obrigatória em SP

·3 minuto de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - OCTOBER 02: View of a classroom with protective shields on the tables and safety distance at Santa Maria school during the preparation of reopening schools amidst the coronavirus (COVID - 19) pandemic on October 2, 2020 in Sao Paulo, Brazil. (Photo by Miguel Schincariol/Getty Images)
Escolas particulares terão prazo para se readequarem para retomar aulas presenciais obrigatórias (Foto: Miguel Schincariol/Getty Images)
  • Volta às aulas presenciais em São Paulo voltará a ser obrigatória em 18 de outubro, com distância de um metro

  • Em 3 de novembro, distanciamento será dispensado

  • Alunos em situações de saúde excepcionais, como gestantes e estudantes do grupo de risco, são exceções e não precisam tornar

A partir de 18 de outubro, as aulas presenciais voltarão a ser obrigatórias no estado de São Paulo. A medida vale para as redes municipal, estadual e também particular. 

"O governo do estado de São Paulo anuncia a retomada obrigatória dos estudantes nas redes estadual, municipal e particular a partir da próxima semana, 18 de outubro. Com o avanço da vacinação, sendo o estado que mais vacina, assim como os indicadores de queda da covid-19, tornam possível e viável a obrigatoriedade dos alunos em sala de aula a partir da semana que vem", anunciou o governador João Doria (PSDB). 

Leia também:

Segundo o governador, para garantir a segurança do retorno das aulas presenciais, todos os protocolos sanitários serão mantidos até o fim do mês de outubro: distanciamento de um metro entre os alunos, uso de máscara, álcool em gel. 

"Essa é uma história já bastante longe dentro dessa história de covid", justificou o secretário de Educação, Rossieli Soares. "Fomos acompanhando os movimentos, sempre com a área de saúde, e chegamos ao que vamos falar, sobre o dia 18 de outubro." No retorno, as escolas ainda terão de manter o distanciamento, mas a medida vale apenas até 3 de novembro, quando não será mais necessário o espaçamento entre os estudantes. 

O secretário ainda afirmou que 97% dos profissionais da Educação já estão com o esquema vacinal completo. Em relação aos estudantes, entre aqueles entre 12 e 17 anos, 90% receberam a primeira dose. Após 56 dias, os adolescentes podem receber a segunda dose. 

Entenda como funcionará a obrigatoriedade da volta às aulas

  • Rede estadual: Voltará a ter presença obrigatória a partir do dia 18 de outubro, próxima segunda-feira, com um metro de distancia entre os alunos. 

  • Rede privada: Conselho vai deliberar sobre o prazo para as escolas privadas em que as instituições poderão se adaptar às regras 

  • Rede municipal: Deverá ser observada a regra de cada conselho municipal. Na cidade de São Paulo, a regra seguida é a mesma do estado de São Paulo 

E caso a escola não possa receber todos os alunos, cumprimento o distanciamento? "Em outubro, mantido o distanciamento com a manutenção da bolha. Então, nesse mês de outubro, a rede estadual basicamente vai funcionar: tem uma bolha? Está organizado com 50%, 60% dos alunos para o dia, para segunda-feira, dia 18? Serão esses 50%, 60% dos alunos que precisarão ir obrigatoriamente à escola", esclareceu Rossieli Soares. "Terça-feira, outro grupo de alunos? Deverão ir os alunos do outro grupo. Em novembro, não precisaremos mais do distanciamento."

3 de novembro

A partir de 3 de novembro, será obrigatória a presença de 100% de todos os estudantes de forma simultânea. O distanciamento de um metro entre os estudantes não será mais requerido, mas, segundo o estado, os demais protocolos sanitários serão mantidos. 

Quais são os protocolos sanitários: 

  • Pessoas sintomáticas não devem ir às escola

  • Uso de máscara é obrigatório 

  • Aferição de temperatura 

  • Casos suspeitos ou confirmados devem ser notificados na UBS local e registrados no SIMED (Sistema de Informação e Monitoramento da Educação)

  • Manter sala isolada e arejada 

  • Higienização frequente das mãos 

  • Ventilação e higienização dos ambientes

Exceções à regra 

Nem todos os jovens são obrigados a comparecerem, dada a situação médica deles. Para estes alunos, as atividades remotas continuarão disponíveis. Veja quais as exceções: 

  • Gestantes e puérperas

  • Estudantes com comorbidades a partir de 12 anos que não tenham completado o ciclo vacinal contra a covid-19 

  • Menores de 12 anos em grupos de risco contra a covid-19

  • Estudantes com condição de saúde com maior fragilidade à covid-19, mesmo com o ciclo vacinal completo, com prescrição médica para permanecer em atividade remota

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos