Entenda fatores determinantes para Neymar ficar fora da fase de grupos

A decisão da comissão técnica e do departamento médico da seleção brasileira de não contar com Neymar na fase de grupos da Copa do Mundo passa por dois fatores determinantes.

O primeiro é o tempo curto para a recuperação de uma torção no tornozelo direito, que teve lesão ligamentar constatada, e requer uma recuperação de ao menos uma semana.

O Brasil encara a Suíça na segunda-feira, e joga contra Camarões na sexta. Se passar de fase em primeiro, as oitavas de final serão no dia 5, a próxima segunda-feira. Ou seja, dez dias para que Neymar possa fazer a avaliação diária e se recupere passo a passo.

Simulador: você decide quem será campeão da Copa do Catar

Tabela da Copa: Datas, horários e grupos do Mundial do Catar

O segundo fator importante no caso de Neymar é o histórico de lesões parecidas, ou seja, torções. Embora não tenha tido um problema considerado grave e esteja apto a voltar dentro da Copa do Mundo, a recuperação no seu caso é mais complexa, pois o tornozelo já é maltratado, e por isso fica com muito derrame, muito inchado, e com fibroses de torções anteriores, que dificultam que o inchaço diminua no prazo de 24 a 48 horas estipulado pelos médicos.

Descartado contra a Suíça pelo médico Rodrigo Lasmar, Neymar não teria tempo de fazer qualquer tipo de trabalho no campo, apenas fortalecimento em academia e tentativa de gerar mobilidade na região lesionada. A seleção brasileira ainda não desconsidera a presença contra Camarões, na próxima sexta-feira, pois pode haver uma recuperação no dia a dia a tempo.

Álbum completo: conheça todos os 831 jogadores da Copa

Ao vivo: Bastidores, informações e análises da cobertura direto de Doha

Em caso de o Brasil precisar vencer o terceiro jogo da fase de grupos, é possível que Neymar tenha até condições de atuar no sacrifício, mas no momento a comissão técnica adota cautela máxima. E quer ter o seu melhor jogador o mais inteiro possível quando mais precisar dele.