Entenda julgamento do caso Flordelis e veja quem foi condenado e absolvido

***ARQUIVO***NITERÓI, RJ, 07.11.2022 - A ex-deputada federal Flordelis, aguarda o início de seu julgamento no Fórum de Niterói, no Rio de Janeiro, neste segunda. Ela será julgada com sua filha biológica Simone dos Santos Rodrigues, a neta Rayane dos Santos Oliveira e os filhos afetivos André Luiz de Oliveira e Marzy Teixeira da Silva, todos denunciados por envolvimento na morte do pastor Anderson do Carmo, marido da ex-deputada. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)
***ARQUIVO***NITERÓI, RJ, 07.11.2022 - A ex-deputada federal Flordelis, aguarda o início de seu julgamento no Fórum de Niterói, no Rio de Janeiro, neste segunda. Ela será julgada com sua filha biológica Simone dos Santos Rodrigues, a neta Rayane dos Santos Oliveira e os filhos afetivos André Luiz de Oliveira e Marzy Teixeira da Silva, todos denunciados por envolvimento na morte do pastor Anderson do Carmo, marido da ex-deputada. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A ex-deputada federal Flordelis dos Santos Souza, 61, foi condenada neste domingo (13) a 50 anos e 28 dias de reclusão, em regime fechado, por ser mandante do homicídio qualificado do seu marido, o pastor Anderson do Carmo.

O crime ocorreu em junho de 2019, quando o pastor foi atingido por disparos na garagem de sua casa que causaram 33 ferimentos em seu corpo, entre fraturas e entradas e saídas dos projéteis. Ele tinha 42 anos e morava com Flordelis e mais 35 filhos.

Relembre abaixo os principais pontos do julgamento no Tribunal do Júri da Comarca de Niterói (RJ), que durou sete dias.

Além da ex-deputada federal, outros sete acusados foram condenados, a maioria em julgamentos anteriores que ocorreram em novembro de 2021 e em abril deste ano. Três acusados foram inocentados neste domingo. Veja quem é quem.

Estratégia da defesa Entre as testemunhas de defesa, duas filhas e duas netas de Flordelis relataram que presenciaram ou sofreram abusos sexuais de Carmo. Em seu depoimento, a pastora afirmou que sofria constantes agressões físicas e sexuais do marido.

A principal linha da defesa foi tentar convencer os jurados de que o crime fora cometido por Flávio dos Santos Rodrigues, filho biológico da ex-deputada, como forma de defesa contra supostos sexuais de Carmo contra os irmãos. Na tese, Rodrigues teria tomado a decisão por conta própria, sem mandante.

Rodrigues foi julgado em novembro de 2021 e condenado a 33 anos de prisão por ter realizado os disparos.

Provas da Promotoria Em sua sustentação, a promotora Mariah Paixão disse que essa foi "mais uma tese de conveniência, extremamente violadora da memória da vítima, na tentativa de colocar Anderson do Carmo no banco dos réus, quando ele é a vítima".

A promotora também apresentou uma série de provas de que o pastor foi vítima de envenenamento a mando de Flordelis a partir de 2018. Foram apresentados diálogos entre os irmãos André Luiz Oliveira e Marzy Teixeira. Na conversa, ocorrida cerca de dois meses antes do crime, Marzy pede para Oliveira comprar chumbinho (veneno para matar ratos) e indica onde poderia adquiri-lo.

Oliveira responde que "está chovendo, engarrafado" e pergunta se poderia ser outro dia. Marzy retruca: "A mãe [Flordelis] está pedindo para comprar, para hoje, para hoje. Esse é o único que funciona, os outros têm cor". Quando Oliveira responde ter achado, Marzy escreve: "Aleluia".

A investigação apontou que Carmo procurou o hospital por pelo menos seis vezes a partir de 2018, com fortes dores no estômago. Apesar de não terem sido feitos exames no corpo, peritos afirmaram que os sintomas são compatíveis com quadros de envenenamento.

A Promotoria também mostrou uma série de buscas feitas por outra filha de Flordelis, Simone Rodrigues, na internet com as palavras "cianeto comprar" e "cianeto nos alimentos". Ela foi condenada a 31 anos, 4 meses e 20 dias de reclusão, em regime fechado.

Louvores no corredor Paula Barros, ex-jogadora de vôlei da seleção brasileira, conhecida como Paula do Vôlei, participou de todos os dias do julgamento. Segundo a Promotoria, ela poderia ter auxiliado a manipular depoimentos de familiares de Flordelis.

Procurada pela Folha para comentar o caso, Paula Barros respondeu que foi abordada por assessor de Flordelis para ajudar no caso, após os familiares realizaram depoimentos na delegacia. "Nunca preparei ninguém para depoimento algum", afirmou.

Na madrugada deste domingo (13), às 3h, ela cantava louvores no corredor que dá acesso ao tribunal, ao lado de filhos de Flordelis, durante as alegações finais.

Conclusões do inquérito Em agosto de 2020, o Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou Flordelis como suspeita de ser a mandante do assassinato do marido. Outras dez pessoas também foram denunciadas, entre filhos e a neta da ex-deputada federal.

A principal prova foi uma troca de mensagens entre Flordelis e um dos filhos em que disse "Fazer o quê? Separar dele não posso, porque senão ia escandalizar o nome de Deus".

Ainda segundo os investigadores, os denunciados tentaram matar o pastor outras seis vezes por meio da administração de veneno em comida e bebida.

Quem foi condenado Simone Rodrigues - filha biológica de Flordelis, foi condenada a 31 anos, 4 meses e 20 dias de reclusão, em regime fechado, por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio e associação criminosa armada. Ela chegou a afirmar em depoimento ter sido a mandante do crime ao revelar os abusos sexuais ao seu irmão Flavio, mas negou a versão no julgamento finalizado neste domingo

Flávio dos Santos - filho biológico de Flordelis, foi condenado em novembro de 2021 a quase 30 anos de prisão acusado de ter atirado contra o pastor Anderson do Carmo

Lucas Cézar dos Santos de Souza - filho adotivo de Flordelis, foi condenado em 2021 a sete anos e meio por homicídio triplamente qualificado. Ele teria ajudado a comprar a arma do crime, segundo o Ministério Público do Estado do Rio. Sua pena foi reduzida por ter colaborado com as investigações

Carlos Ubiraci Francisco da Silva - filho adotivo de Flordelis, foi condenado em 2021 a dois anos, dois meses e 20 dias em regime semiaberto, pelo crime de associação criminosa armada. Depois, a Vara de Execuções Penais do Tribunal de Justiça do Rio concedeu liberdade condicional a Ubiraci.

Adriano dos Santos Rodrigues - filho biológico da pastora, foi condenado em abril deste ano a quatro anos, seis meses e 20 dias de prisão em regime semiaberto por associação armada e uso de documento falso

Andrea Santos Maia - amiga da família, foi condenada em abril deste ano a quatro anos, três meses e dez dias em regime semiaberto por associação armada e uso de documento falso

Marcos Siqueira Costa - ex-PM e marido de Andrea, recebeu em abril deste ano pena de cinco anos e 20 dias de prisão em regime fechado por associação armada e uso de documento falso

Quem foi inocentado André Luiz Oliveira - filho adotivo de Flordelis, foi absolvido das acusações de homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio e associação criminosa armada durante julgamento concluído neste domingo

Marzy Teixeira - filha adotiva de Flordelis, foi inocentada das acusações de homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio e associação criminosa armada durante julgamento concluído neste domingo

Rayane dos Santos - neta de Flordelis e filha de Simone Rodrigues, foi inocentada das acusações de homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio e associação criminosa armada durante julgamento concluído neste domingo