Entenda o fenômeno 'ruas de nuvens rolo', que cortou o céu no litoral neste domingo

Nuvens rolo apareceu primeiro no litoral de Santos e Bertioga (SP), depois ficou visível no Rio de Janeiro. (Foto: Reprodução)
Nuvens rolo apareceram primeiro no litoral de Santos e Bertioga (SP), depois ficou visível no Rio de Janeiro. (Foto: Reprodução)
  • Fenômeno não é raro, nem perigoso

  • Ruas de nuvens rolo são formadas pela mudança de ventos, umidade e temperatura

  • Formação deste domingo foi influenciada pela chegada de uma massa de ar polar ao Sudeste

O litoral paulista e o Rio de Janeiro se surpreenderam com o aparecimento de um fenômeno meteorológico neste domingo (29). O “ruas de nuvens rolos” apareceram por volta das 11h em Santos e Bertioga e, mais tarde, chegaram ao litoral carioca.

Essas nuvens aparecem quando há mudança de velocidade e direção dos ventos, umidade do ar e de temperatura. A sequência de nuvens que tomou o céu neste domingo tinha várias centenas de quilômetros em cima do Oceano Atlântico, segundo a MetSul.

Segundo a empresa, o fenômeno não é raro, nem perigoso. "As ruas de nebulosidade são longas fileiras de nuvens cumulus orientadas paralelamente à direção do vento. O nome técnico, mais especificamente, é rolos convectivos horizontais", explica a MetSul.

As ruas de nuvens se formam quando o ar quente ascendente esfria aos poucos enquanto sobre para a atmosfera até a umidade presente nessa massa se condensa. Ao mesmo tempo, o ar frio afunda os dois lados da área de formação de nuvens, gerando uma zona sem formação de nuvens. "Quando várias dessas massas de ar alternadas subindo e descendo se alinham com o vento, as ruas de nuvens se desenvolvem", detalha a MetSul.

No entanto, ainda é preciso de ventos em direção quase constante, entre 20 km/h e 30 km/h, para se formarem as fileiras de nuvens.

No caso deste domingo, as nuvens se alinharam ao oceano por conta da chegada de uma massa de ar polar que se deslocou do Sul para o Sudeste do país. "Geralmente, as ruas de nuvens normalmente formam linhas bastante retas em áreas grandes e planas, como o oceano. No entanto, quando características geológicas como ilhas interrompem o fluxo do vento, podem ser criados padrões em espiral nas ruas de nuvens", disse a empresa.