Entenda o planejamento do Flamengo para o elenco até o fim da temporada e de olho em 2023

Três dias depois da conquista do tricampeonato da Libertadores, o Flamengo começa a traçar o planejamento de 2023, sem desconsiderar o fim de temporada e os quatro jogos restantes no Brasileiro, a começar pelo duelo contra o Corinthians nesta quarta-feira, no Maracanã. Sem chances de título, o rubro-negro promoverá uma análise em relação às férias dos principais jogadores, que podem ser antecipadas, e outros temas do dia a dia, como aproveitamento de jogadores desgastados.

A partir deste compromisso em campo a diretoria entra em cena para planejar o que estiver relacionado ao lado de fora das quatro linhas. O Conselho de futebol se reunirá ainda esta semana para detalhar questões mais estratégicas do planejamento: contratações, orçamento, renovações do elenco, entre outros assuntos.

Com os cofres cheios após os títulos da Copa do Brasil e Libertadores, a intenção é reforçar o grupo para o Mundial em 2023 e manter os principais titulares, como David Luiz, Filipe Luís, cujos contrato se encerram em dezembro. Para isso é necessário saber qual o valor disponibilizado para os investimentos no futebol a partir do ano que vem.

As discussões serão promovidas pelo departamento de futebol junto ao técnico Dorival Júnior. A questão das férias também será levada ao Conselho e ao presidente Rodolfo Landim, que é quem bate o martelo sobre o assunto. O vice de futebol Marcos Braz e o diretor Bruno Spindel já se debruçam nos contatos com os agentes para tratar das renovações e contratações de jogadores.

Em 2022 o Flamengo gastou quase R$ 160 milhões em reforços para o elenco. O mais caro deles foi Éverton Cebolinha, que custou mais da metade do total. O clube, por outro lado, vendeu quase R$ 100 milhões em direitos de jogadores. Ainda assim, poderá precisar fazer novas negociações em janeiro. O mais cotado para ser vendido hoje é João Gomes. Até agora, devem deixar o clube Diego Ribas, Diego Alves e Rodinei, em fim de contrato.