Entenda o que é e o que faz a Fiesp

Nascida em 1928, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) é a maior representação de classe do setor no país, no estado que representa mais de 30% de tudo o que segmento produz no Brasil. São 130 mil fábricas de diversos setores e tamanhos, distribuídas em 131 sindicatos patronais. O entidade atualmente vive um racha: sindicatos filiados destituíram o presidente em assembleia nesta segunda-feira.

Destituição: Advogado de Josué Gomes diz que ação foi ilegal

Americanas: Veja a mensagem de despedida de Sergio Rial

Os objetivos da entidade, segundo o exposto no site da federação, são “pela competitividade brasileira, com reivindicações para diminuir os custos de produção e conter a desindustrialização”.

A Fiesp sempre teve forte influência política, principalmente pelo peso e diversificação de sua indústria na economia brasileira. Defendem juros mais baixos, menos impostos e burocracia e proteção contra importação.

Mas a indústria de transformação, que exclui a extrativa como do petróleo e minério, vem perdendo espaço na economia brasileira. Representava 15,3% em 2000, caindo para 12% em 2021, segundo o IBGE.

Paulo Skaf que foi presidente da entidade por 17 anos foi candidato ao governo paulista por três vezes. Em 2010, 2014 e 2018, sem sucesso.

Oposição: O que levou à saída de Josué Gomes da Fiesp

Em 2015, a federação presidida por Skaf foi a primeira a dar apoio ao impeachment da então presidente Dilma Rousseff. O pato amarelo da Fiesp foi presença constante nas manifestações pela saída de Dilma.

No ano passado, já sob comando de Josué Gomes, foi uma das articuladores do manifesto pela democracia, lido no dia 11 de agosto na Faculdade de Direito da USP.

A entidade é financiada com os recursos do Sistema S, arrecadado como um imposto na folha de pagamento das empresas, e mensalidades dos filiados. A Fiesp mantém uma rede de qualificação profissional por meio do Senai e do Sesi.