Entenda o que pode acontecer com o Twitter: quais são as redes que tentam crescer em meio à crise?

Desde que comprou o Twitter por US$ 44 bilhões, Elon Musk disse que a rede pode ir à falência se não começar a gerar mais dinheiro. Nos últimos dias, o bilionário deu o ultimato aos funcionários da plataforma o que desencadeou um êxodo de profissionais e levou o fechamento de seus escritórios até segunda-feira. O GLOBO listou outras plataformas que podem funcionar para manter a comunicação e interação com amigos e colegas de trabalhos após a crise da plataforma.

Elon Musk compra Twitter: o que muda na plataforma?

Meta segue os passos do Twitter? Dona do Facebook deve anunciar demissões

Musk chegou a publicar nesta quinta-feira um tuíte no qual minimiza a saída de mais profissionais da empresa do que o esperado: "Os melhores estão ficando, então não estou muito preocupado", escreveu no Twitter respondendo se a rede social vai continuar a ficar operacional após o êxodo de funcionários. Em meio à confusão que ele vem criando na empresa, alguns usuários do Twitter começaram a procurar redes sociais alternativas.

Koo

A plataforma, criada na Índia, é semelhante ao rival americano e nele é possível escrever pequenos textos de até 400 caracteres. Também existem hashtags e tendências. Ainda dá para postar fotos e vídeos de até um minuto.

Nesta sexta-feira, o co-fundador da Koo, Mayank Bidawatka anunciou que com a demissão em massa da rede similar ao Twitter, ele está disposto a aceitar os colaboradores da plataforma que forem demitidos ou que saíram voluntariamente.

“Vamos contratar alguns desses ex-funcionários do Twitter enquanto continuamos expandindo”, escreveu no seu perfil do Twitter. Bidawatka ainda acrescentou que os profissionais “merecem trabalhar onde seu talento é valorizado”.

Mastodon

Lançada em 2016, a Mastodon, criada pelo jovem programador alemão Eugen Rochko, é a grande aposta. A ferramenta, que tem em torno de 4,5 milhões de contas (cerca de um quarto deles ativos) e vem recebendo milhares de adesões nos últimos dias, funciona no mesmo estilo que a plataforma de Musk, ou seja, um microblog, com recursos de curtir, comentar e compartilhar publicações. Além disso, os posts são chamados de Toots e tem um limite de até 500 caracteres.

A Mastodon se descreve como uma “plataforma de mídia social descentralizada, gratuita e de código aberto”, que visa a ser “uma alternativa viável ao Twitter”. O nome da plataforma foi inspirado no de um parente extinto de mamutes e elefantes.

Plurk

O Plurk é um microblog lançado no ano 2008 e traz uma proposta similar ao Twitter. Pelo aplicativo, os usuários podem enviar mensagens curtas (conhecido como plurks) com até 140 caracteres. Além disso, podem fazer posts de forma anônima, o que pode ser um ponto positivo para quem se preocupa com privacidade.

Tumblr

O Tumblr é uma plataforma de blogs em que mistura Twitter e Pinterest. Nela, os usuários podem usar para seguir tags e perfis de outras pessoas, compartilhar conteúdos em diferentes formatos, repostar publicações de terceiros, interagir com posts e conversar com amigos via chat privado.

Na plataforma os usuários podem publicar links, citações, gifs, música, áudios em geral, textos e ainda personalizar como quiser com diversos templates em HTML, ou criar o seu próprio e ter sua página exclusiva e se tornou uma referência visual quem produz conteúdo, principalmente fotos, em outras redes, como o Instagram.

Reddit

O Reddit é uma plataforma baseada em fóruns, em que usuários podem engajar em diferentes discussões sobre os mais variados assuntos.