Entenda os motivos para Tite colocar Paquetá na função de Neymar contra a Suíça

Embora Tite tenha treinado ao longo de toda a preparação para a Copa do Mundo com Rodrygo ocupando a função de Neymar no time reserva, a maior segurança que o técnico busca para atuar contra a Suíça nesta segunda-feira, 13h, sem o seu camisa 10, pode estar na versatilidade de outro jogador, mais experiente. Lucas Paquetá, de 25 anos, tem atuado como segundo homem de meio-campo, mas possui um histórico de entregar um jogo mais criativo e equilibrado.

Diferentemente de Rodrygo, que jamais atuou como titular em seis partidas com a camisa do Brasil, Paquetá também tem maior vivência em grandes torneios pela seleção e a facilidade de se adaptar à função de Neymar pelo lado esquerdo, posição onde deu os primeiros passos como profissional no Flamengo. Na ocasião, o jovem atuava na segunda linha de quatro em um sistema 4-1-4-1, o mesmo da seleção de Tite, e tinha ao seu lado Vini Jr na ponta esquerda, o que se repete agora.

- A equipe já tem um histórico dela. Não estou falando nenhuma novidade. Ela tem uma forma de jogar. E ela não vai fazer, em momentos de pressão... Ela tem três ajustes que ela faz. Em momentos de maior pressão, a tendência do humano é repetir aquilo que tem de segurança - disse Tite.

Simulador: você decide quem será campeão da Copa do Catar

Tabela da Copa: Datas, horários e grupos do Mundial do Catar

Como teve problemas na saída de bola e na recomposição do meio-campo na estreia contra a Sérvia, Tite empurraria Paquetá para ser o terceiro homem, manteria Casemiro como volante mais preso na frente da área, e teria em Fred um meio-campo pelo lado direito com capacidade de chegada. Foi com essa base, mas com Paquetá por fora, na vaga de Vini Jr, e Neymar titular, que o Brasil jogou a maioria das partidas das Eliminatórias, quando ainda não tinha Vini e Raphinha em grande fase. Com os pontas em bom momento, Paquetá une as duas situações favoráveis entre ataque e defesa.

A presença do versátil meio-campo conserva um melhor ajuste defensivo sem abrir mão da ofensividade. Além de elevar ainda mais a altura da equipe na hora de defender e atacar. Paquetá tem 1,80m, enquanto Rodrygo tem 1,74m. Contra a Sérvia, embora tenha havido poucas finalizações, Thiago Silva e Marquinhos tiveram dificuldades de ganhar as bolas aéreas. Com Paquetá e também Militão, que entraria no lugar de Danilo, o time tem alguns centímetros a mais para essas disputas.

Álbum completo: conheça todos os 831 jogadores da Copa

Ao vivo: Bastidores, informações e análises da cobertura direto de Doha

Foi na ausência de Neymar que Paquetá começou a se consolidar na seleção brasileira com Tite, em 2019. O jogador foi chamado logo na primeira convocação após o Mundial da Rússia, para os amistosos contra Estados Unidos e El Salvador. Na época com 21 anos, mesma idade que Rodrygo tem hoje, entrou nos dois jogos e deixou boa impressão. Ao retornar, foi escalado como titular contra Panamá, quando marcou o seu primeiro gol, e diante da República Tcheca, ocasião em que Neymar estava machucado e havia ficado de fora por conta de uma fratura no pé direito que agora torceu.